Vovó do Uber ultrapassa 20 mil corridas na carreira: 'se der vou até os 80 anos'



Maria Albina Oliveira da Cruz, de Santos, no litoral de SP, trabalha há quatro anos como motorista de aplicativo. ‘Vovó do Uber’ ultrapassou a marca de 20 mil corridas realizadas em aplicativo durante 4 anos
Matheus Tagé/A Tribuna Jornal e Arquivo Pessoal
Prestes a completar 75 anos, a ‘Vovó do Uber’, que viralizou na web por dirigir 8h por dia como motorista de aplicativo em Santos, no litoral de São Paulo, contou ao g1, nesta quarta-feira (11), que segue em atividade e já ultrapassou a marca de 20 mil corridas. São quatro anos de trabalho e somando: “Enquanto eu estiver viva e saúde vou continuar a dirigir. Se der vou até os 80 anos”
Com o lema de vida ‘Quando não está bem, a gente faz ficar’, Maria Albina Oliveira da Cruz diz ter se tornado uma conselheira amorosa durante as corridas. “As histórias são sempre as mesmas: É a moça que chora porque brigou com o namorado, o moço que chora porque brigou com a namorada. Estão chateados e começam a contar”.
Diante de histórias semelhantes, ela conta já ter adquirido certo conhecimento para entender as dores e acalmar os passageiros.
“Às vezes eu vejo que a pessoa está triste e falo para não ficar assim, não ficar triste. Aí elas começam a contar. Eu falo para não ficar triste porque não foi ela que perdeu. Falo que pode acontecer com qualquer um”.
Com mais de 20 mil viagens realizadas, Maria brincou dizendo que poucos passageiros a estressaram
Matheus Tagé/Jornal A Tribuna
Corridas por aplicativo
A ‘Vovó do Uber’ continua dirigindo oito horas por dia, fazendo de 20 a 25 corridas. Ela contou que não se estressou com ninguém durante a prestação do serviço, mas que já recebeu e-mail da plataforma sobre um passageiro que teria reclamado dela correr demais ao volante. “Errou de motorista. Eu não corro”.
Para ela, o melhor horário para dirigir é no de pico. “Vou tranquila e sossegada, adoro. Aí tem uns malucos com pressa que ficam me xingando. Eles ficam furiosos porque dirijo devagar. Tem uns que não têm educação e nem respeitam por ser senhora”.
Maria Albina revelou que às vezes revida das agressões verbais sofridas no trânsito, mas que em muitos casos é defendida pelas próprias passageiras, que dizem coisas como: ‘Vai xingar tua mãe, como tem a coragem de ofender a senhora?’.
Maria Albina confessou que às vezes comete algumas gafes no trânsito dando uma seta errada ou andando devagar. “Todo dia de manhã pego meu tercinho e agradeço a Deus por mais um dia de trabalho, agradeço a Deus todos os dias pela saúde e disposição”.
Prestes a completar 75 anos, ‘Vovó do Uber’ segue como motorista de aplicativo por hobby em Santos, no litoral de SP
Matheus Tagé/Jornal A Tribuna e Arquivo Pessoal
Bisneta
Maria Albina ganhou uma bisneta que irá completar um ano em março deste ano. “A bisnetinha está uma fofura. Já vai fazer um ano. Como o tempo passa né? Muito rápido. Ela já quer andar e falar. Estou feliz, muito feliz. Não tem felicidade maior”.
A Vovó do Uber, que não costuma tirar folga do serviço, confessou ter aproveitado as festas de final de ano para tirar uma semana de folga. “Falei que ia me dar [de presente], mas quando chegou sexta eu já estava nervosa, com a cabeça zoada [de ficar sem trabalhar]”.
Maria Albina Oliveira da Cruz conta que fazer as corridas por aplicativo é uma terapia para ela.
Matheus Tagé/Jornal A Tribuna
“Fiquei fazendo as coisas de Natal, aí minha filha virou e falou: Pode deixar que segunda-feira a senhora fica boazinha, é só ir para a rua fazer corrida”, finalizou.
LEIA TAMBÉM:
Aos 73 anos, ‘Vovó do Uber’ dirige 8 horas por dia como motorista de aplicativo por hobby: ‘Terapia’
‘Vovó do Uber’ vira ‘celebridade’ em SP e se diverte: ‘Querem tirar foto comigo’
Fama, dinheiro e futura ‘bisa’: como é viajar com a famosa ‘Vovó do Uber’
‘Vovó do Uber’ é promovida a ‘Bisa do Uber’ após nascimento da bisneta em SP: ‘sensação maravilhosa’
Relembre a história
Maria Albina Oliveira da Cruz trabalha diariamente como motorista de aplicativo em Santos, no litoral de São Paulo. Ao g1, a ‘Vovó do Uber’ contou que dirige desde os 20 anos, mas que só atua na profissão há três anos e meio. Ela não considera dirigir um trabalho, mas sim, um passeio.
Com mais de 20 mil viagens registradas na plataforma do aplicativo, Maria brincou dizendo que só três passageiros a estressaram nesse período. Ela trabalha de sete a oito horas por dia, atendendo entre 22 e 25 corridas. “Não é o dinheiro que me prende. Quando começa a escurecer, eu paro, pois se eu ficar muito tempo dirigindo à noite, começa a me dar ansiedade. Gosto de dirigir durante o dia”.
Com três filhos, sete netos e uma bisneta, Maria Albina já trabalhou como corretora de imóveis e costureira. “Quando pintou o aplicativo na minha vida, foi a profissão certa para mim. Adoro ir para lá e para cá, ir e voltar com passageiro. Quando eles perguntam por que estou trabalhando com essa idade, falo que estou passeando. A primeira coisa que perguntam é a idade, mas, para mim, fazer corrida é uma terapia”.
‘Vovó do Uber’ dirige pelas ruas de Santos há pouco mais de 4 anos
Vanessa Ortiz/g1
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar