Velejador desaparecido há quatro dias pode estar a 200 km da costa e à deriva; entenda



Edilson Gloeden, de 66 anos, saiu da sede náutica de um clube em Santos (SP) para testar o veleiro ‘Sufoco’ e sumiu. O 8° Distrito Naval do Brasil, a Marinha e Corpo de Bombeiros continuam as buscas. Edilson Gloeden, de 66 anos, desapareceu após sair com o veleiro ‘Sufoco’ da sede náutica de um clube em Santos
Reprodução/Redes Sociais
O velejador Edilson Gloeden, de 66 anos, está desaparecido desde domingo (15), quando saiu da sede náutica de um clube em Santos, no litoral de São Paulo, para testar o piloto automático recém instalado no veleiro ‘Sufoco’ e não foi mais visto desde então. Equipes realizam buscas, até o momento sem sucesso, pelo velejador e a embarcação dele.
De acordo com o navegador Herman Junior, que criou o site Inavigate e administra o grupo ‘Mayday’ em um aplicativo de mensagens, onde atualiza e ajuda marinheiros, além de contatar autoridades quando necessário, Edilson saiu com equipamentos de ótima qualidade e não fez contatos com o grupo. “Ele estaria a 120 milhas de distância da costa [algo em torno de 200 km], muito além da laje de Santos].
Herman acredita que, se Edilson manteve o veleiro ‘Sufoco’ no piloto automático e com tanque cheio, a embarcação seria capaz de navegar por até 30 horas. Diante desse possível cenário, o veleiro pode ter seguido por 120 milhas de distância da costa e ficado à deriva – mais longe que as ilhas de Alcatraz e da Queimada Grande.
“Ele tem um equipamento bom, de qualidade, e não tentou contato, não pediu socorro, não tentou ligar para ninguém, então a gente suspeita que ele possa ter passado mal, que possa ter acontecido alguma coisa com ele”, disse Herman.
O navegador diz acompanhar as buscas por Edilson de perto e contou que outros colegas marinheiros e pilotos de aeronaves de pequeno porte auxiliam nas buscas junto às autoridades, embora ainda não tenha tido sucesso.
Autoridades continuam buscas
Velejador desaparece após sair de marina em Santos, SP
Arquivo Pessoal
Nesta quinta-feira (19), o comando do 8° Distrito Naval do Brasil, que atua na costa de São Paulo, informou ao g1 que “todos os esforços estão sendo envidados na operação de busca”. Segundo o órgão, quatro embarcações da Marinha do Brasil estão empenhadas em encontrar Edilson.
O comando também ressaltou que apesar das buscas da Força Aérea Brasileira e do Corpo de Bombeiros, ainda não foram encontrados indícios do velejador, nem do veleiro ‘Sufoco’.
A Marinha do Brasil informou que a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) tomou conhecimento sobre o desaparecimento de Edilson Gloeden e o veleiro ‘Sufoco’ na segunda-feira (16). A estrutura de Busca e Salvamento da CPSP e do Grupamento de Patrulha Naval do Sul Sudeste foram acionados para as buscas.
A Marinha do Brasil ressalta que incentiva a participação da população e disponibiliza o telefone 185 para denúncias e emergências náuticas. Por meio de nota, a Polícia Civil informou que não localizou qualquer boletim de ocorrência sobre o desaparecimento dele.
VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar