Turista relata desespero após filha ser arrastada por carro e diz que motorista foi ‘covarde’; VÍDEO | Santos e Região

A atendente Ana Paula Francisco Silva, de 27 anos, atropelada junto com a filha e a sogra enquanto andava na calçada, relata que viveu momentos de desespero após a filha ser arrastada pelo carro, em São Vicente, no litoral paulista. A turista, natural de Minas Gerais, afirmou ao g1 nesta terça-feira (5) que busca por justiça. Ela e a sogra foram atendidas e a criança segue internada, com estabilidade.

“Fiquei desesperada, pedia a Deus que fosse eu passando por isso, e não minha filha, preferia estar no lugar dela. Pedi a Deus, clamei pela vida dela. Eu poderia ter perdido ela, que nasceu de novo. Agora, quero justiça pela minha filha”, descreve a atendente.

O caso ocorreu na Avenida Manoel da Nóbrega, no bairro Itararé, neste fim de semana. Conforme explica Ana Paula, era o primeiro dia da família na cidade, em uma viagem de excursão. Eles passaram o dia na praia e, de noite, saíram da pousada para jantar. Na volta, aconteceu o acidente. “Na hora que olhei para trás e vi o carro, ele já estava em cima de mim, atropelou eu, minha sogra e minha filha de sete anos. Ele ainda arrastou minha filha”, relembra.

Motorista atropela 3 turistas da mesma família em calçada e foge

Motorista atropela 3 turistas da mesma família em calçada e foge

Toda a ação foi flagrada por câmeras de monitoramento (veja vídeo acima). O condutor do veículo subiu na calçada e atingiu as três. O marido de Ana Paula e o filho mais novo, de apenas dois anos, estavam à frente do grupo e não foram atingidos. “Na hora, parecia proposital. O ponto de ônibus fica ao lado da pousada, ele já entrou na calçada do ponto e passou por nós”, descreve.

A vítima explica que não sabe se o motorista estava sob efeito de álcool ou algum entorpecente, ou se fez apenas com o intuito de machucá-los. Ela relata que o momento seguinte foi de desespero. “Meu esposo pegou minha filha, pedia para ela não dormir. Na hora, ficou tão nervoso, gritou por socorro e ajuda. Eu queria pegar ela, e as pessoas ficavam me segurando pelo braço. É uma sensação de angústia, desespero e até revolta”, desabafa.

Pouco depois da colisão, uma ambulância do município de Santos que trafegava pelo local levou a criança e a avó paterna à Unidade de Pronto Atendimento Central. Depois, a menina foi encaminhada a um hospital devido ao estado de saúde grave, com traumatismo craniano. Segundo a mãe da menina, ela permanece na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas segue em estabilidade.

Atropelamento ocorreu em São Vicente, SP — Foto: Reprodução

Ana Paula conta que foi socorrida ao Hospital Municipal de São Vicente e se recupera bem, apenas mancando devido à batida, com joelho e rosto inchados e com três pontos no supercílio. A sogra dela foi liberada e retornou para Minas Gerais com a excursão, enquanto ela e o esposo seguem no litoral paulista aguardando a recuperação da criança.

“Eu quero justiça, porque ele foi covarde, não prestou socorro, não teve um pingo de piedade por atropelar três pessoas”, reitera a atendente.

“Eu estou chocado, de boca aberta com o que aconteceu. Uma pessoa desumana, ser humano podre, sem coração. Minha filha chegou em estado grave, mas agora ela se mantém estável. Ela ainda teve uma fratura exposta”, lamenta o pai da menina, Bruno Daniel Hamilton. Apesar de tudo, ele diz que contou com o apoio de muitas pessoas na cidade, e foi acolhido após o susto.

Criança de 7 anos foi internada na Unidade de Terapia Intensiva, mas permanece estável — Foto: Arquivo Pessoal

O caso ocorreu na Avenida Manoel da Nóbrega, no sábado, por volta das 20h. Os familiares caminhavam juntos na calçada quando ocorreu o acidente. Eles moram em Minas Gerais e viajaram em uma excursão para São Vicente.

A jovem de 27 anos, a sogra de 48 e a filha de 7 foram atingidas. O marido e o filho mais novo não ficaram machucados. Nas imagens, é possível observar o momento em que o motorista sobe na calçada e atropela as três. O crime foi registrado como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor na Delegacia Sede de São Vicente, onde o caso é investigado.

O condutor do veículo não havia sido identificado até a última atualização desta reportagem, e não se sabe o que pode ter motivado o acidente.

Caso foi registrado como lesão corporal culposa na direção de veículo automotor — Foto: Reprodução

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar