São Vicente, Cubatão e Peruíbe devem revogar a obrigatoriedade do uso de máscara em transportes coletivos | Mais Saúde

As cidades de São Vicente, Cubatão e Peruíbe, no litoral de São Paulo, informaram ao g1 que devem seguir um decreto publicado pelo Governo de São Paulo na última quinta-feira (8). O texto revoga a obrigatoriedade do uso de máscara em transportes públicos. Os demais municípios disseram que vão estudar a situação sanitária para avaliar quais medidas adotarão e, portanto, continuam a exigir a proteção facial em ônibus, vans, táxis e VLT. (leia o decreto estadual ao final)

São Vicente e Cubatão disseram à reportagem que vão publicar um decreto liberando o uso de máscaras nos transportes. O texto também vai indicar os locais onde a proteção continuará obrigatória.

A Prefeitura de Cubatão, em nota, informou que a “obrigatoriedade do uso da máscara continua nos postos de saúde”. A administração municipal ressaltou que, na última semana, apenas uma pessoa foi internada no Hospital Municipal por Covid-19, e que não há registro de mortes no período.

Peruíbe informou que um decreto municipal será registrado adotando a liberação de máscaras no transporte municipal, porém, não especificou quando o texto será publicado.

Mongaguá e Guarujá contaram à reportagem que os gabinetes de Combate à Covid-19 e de Gestão de Crise, respectivamente, vão se reunir para avaliar a situação e, só então, tomarão a decisão de revogar ou não a obrigatoriedade do uso de máscaras.

A Prefeitura de Praia Grande disse finalizar estudos sobre a liberação do uso de máscaras e que, em breve, deve emitir decreto com mais detalhes. “Até que isso aconteça, o uso da máscara permanece obrigatório no sistema de transporte municipal”, ressaltou, em nota.

Santos, Bertioga e Itanhaém não haviam se posicionado até a publicação desta reportagem.

A medida que obrigava o uso de máscaras no transporte público deixa de ser obrigatória a partir desta sexta-feira (9) em todo o estado de São Paulo. Agora, os passageiros de ônibus, metrô e trem podem escolher se querem ou não usar a proteção facial. O uso do item permanecerá obrigatório em locais onde há prestação de serviços de saúde, como hospitais, laboratórios e postos de saúde.

A decisão, segundo comunicado oficial do Governo de São Paulo, foi baseada em parecer do Conselho Gestor da Secretaria de Ciência, Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde de São Paulo (SCPDS) – antigo Centro de Contingência do Coronavírus. Apesar da decisão, o governo paulista ainda recomenda o uso de máscara em transportes públicos para a proteção pessoal.

A Secretaria Estadual da Saúde disse, em nota, que houve queda de mais de 90% nas internações e mortes por Covid-19 no estado de São Paulo neste ano. O total de pacientes com a doença internados em Unidades de Terapia Intensiva passou de 4.091 em 3 de fevereiro para 363 em setembro.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar