Santos é escolhida pela Unesco para receber evento mundial de Cultura Oceânica | Santos e Região

A cidade de Santos, no litoral de São Paulo, será a sede de um evento mundial sobre Cultura Oceânica, promovido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). A escolha foi feita pela cidade ser considerada pioneira na temática. O anuncio foi feito nesta quinta-feira (29) pela Unesco durante a Conferência dos Oceanos da Organização das Nações Unidas (ONU), em Lisboa, Portugal.

O evento que deve reunir mais de 25 países, entre os dias 10 e 15 de outubro deste ano, tem o objetivo de promover a troca de conhecimentos sobre a conexão das pessoas e dos setores da sociedade com o oceano e o desenvolvimento sustentável.

O Brasil será o primeiro país a receber o evento, que reunirá representantes de mais de 25 países, com a presença de comunicadores, artistas, cientistas, lideranças globais, empresas, governos e a população.

De acordo com a prefeitura, haverá ações em diversos pontos da cidade com o objetivo de celebrar, sensibilizar, engajar, debater, vivenciar e comunicar a Cultura Oceânica com o público.

Santos foi escolhida por ser uma cidade pioneira na cultura oceânica, contando com o observatório da interface entre ciência e políticas públicas para o desenvolvimento sustentável, espaço que reúne acadêmicos, poder público e a sociedade para pensar sobre o futuro da cidade.

O convite também foi feito por conta da Lei da Cultura Oceânica, que inseriu o tema no currículo das escolas municipais de Santos. Segundo a administração municipal, a iniciativa foi reconhecida pela Unesco como a primeira lei mundial na temática, inspirando outras cidades e estados do Brasil e do mundo.

Conferência dos Oceanos da ONU

Santos participou da Conferência dos Oceanos das Nações Unidas (ONU) de 2022, que começou na segunda-feira (27) e segue até sexta-feira (1º) em Lisboa, em Portugal.

O evento é considerado o mais importante sobre a conservação do ecossistema marinho. Representantes da cidade participam de discussões sobre cultura oceânica.

Santos é a única cidade brasileira não capital a participar da conferência e foi convidada devido ao trabalho de combate às mudanças climáticas. O secretário municipal de Meio Ambiente (Semam), Marcos Libório, esteve presente no painel “O que a alfabetização oceânica significa para você?”, realizado na quarta-feira (29).

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, abrirá o evento — Foto: Lisa Leutner/ Reuters

A Conferência dos Oceanos das Nações Unidas busca mobilizar os governos para reverter o declínio na saúde dos mares, atendendo ao objetivo número 14, “Desenvolvimento Sustentável”, da Agenda 2030 da ONU, que trata sobre a conservação e uso sustentável dos mares, oceanos e dos recursos marinhos.

A primeira edição da Conferência foi realizada em 2017, nos Estados Unidos, e mostrou o perigo em que os oceanos se encontravam. Neste ano, a discussão central são soluções realistas, práticas, econômicas e replicáveis para garantir o bem-estar do ecossistema marinho.

O evento, que é coorganizado pelos governos de Portugal e do Quênia, e conta com 77 conferências e 65 expositores, além da participação de mais de 170 países e cerca de 1.770 organizações entre universidades, empresas, instituições cívicas e fundações.

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar