Professores da rede municipal de Cubatão protestam e entram em greve por 24 horas | Santos e Região

Os professores da rede municipal de Cubatão (SP) entraram em greve, na manhã desta terça-feira (19), por 24 horas. A categoria reivindica o índice de 22,03% de perdas salariais acumuladas nos últimos três anos, além de melhores condições de trabalho.

Os profissionais da categoria se reuniram, por volta das 9h, em frente ao Paço Municipal, com apoio de mães e alunos. Eles carregaram faixas e cartazes, em protesto. No local, foi realizada a arrecadação de mantimentos aos servidores de São Vicente, que tiveram descontos na folha de pagamento. Também aconteceu a exibição de documentários e rodas de conversas.

Segundo o Sindicato dos Professores Municipais de Cubatão (SindPMC), várias escolas ficaram 100% paralisadas nesta terça-feira. As UMEs João Ramalho, Alagoas e Mário de Oliveira são alguns exemplos de forte adesão.

A categoria reivindica 22,03%, que é o índice de perdas salariais acumulados após três anos sem aumento. O prefeito de Cubatão, Ademario Oliveira, oferece 10,06% e, de acordo com o sindicato, está ignorando outros 10 pontos da pauta de reivindicações.

Os professores dizem que há erros no pagamento de centenas de profissionais, o sucateamento das escolas e a superlotação das salas de aula. Além disso, o pagamento dos professores de Educação Infantil I está abaixo do Piso Nacional do Magistério e há falta de profissionais de apoio para a educação inclusiva.

Paula Albuquerque, presidente do Sindicato, diz que a paralisação é um ato de repúdio. “Quem trabalha na Educação está literalmente cansado. Nosso protesto é o grito dos professores. A gente espera que os governantes nos olhem com mais atenção”, dispara.

Protesto realizado pelos professores acontece o dia inteiro na cidade de Cubatão/SP — Foto: Carlos Abelha/ g1

Segundo Paula, o protesto também reivindica a garantia do piso salarial dos professores de creche. Ela diz que uma parte desses profissionais não recebeu o salário completo referente ao mês de março. “É um descaso total com a nossa classe”, acrescenta.

Por volta das 11h30, os professores sairam do Paço Municipal e seguiram em passeata até a Avenida Nove de Abril.

Em nota, a Prefeitura de Cubatão informou que fez uma proposta à categoria que é possível de ser honrada, uma vez que todo reajuste tem impacto sobre a previdência. A Seges destacou que as categorias que estão na faixa salarial mais baixa contarão com reajuste de 12% a 15% e que foi concedido reajuste das funções gratificadas e na VPNI (Vantagem Pessoal Nominal Identificada). A administração também avançou para reduzir em 10% a contrapartida do vale refeição.

Já a Secretaria Municipal de Educação afirmou que não há superlotação de salas de aula nas escolas da rede e disse que há 214 profissionais de apoio na rede de ensino. Considerando que há normativa indicando que cada profissional de apoio pode atender até 3 alunos, a rede estaria defasada em apenas 14 profissionais que já estão em fase de contratação.

A Seduc destacou ainda que as unidades escolares contam com profissionais de educação especial em todas as áreas para o Atendimento Educacional Especializado.

Vídeos: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar