Precursora da ginástica para gestantes no Brasil relata desafios: ‘ninguém acreditava’ | Santos e Região

Rita Rochão, de 62 anos, foi a precursora da ginástica para gestantes na Baixada Santista, no litoral de São Paulo, e uma das primeiras no Brasil. Trabalhando há mais de 40 anos com futuras mães, a especialista compartilhou com o g1 os desafios que enfrentou até conseguir ter uma carreira consolidada, tendo iniciado o trabalho em uma época em que pouco se sabia sobre o assunto.

“Sempre fui apaixonada por grávidas”, conta. A profissional não sabe explicar os motivos concretos que a levaram a tamanho encanto, mas diz que, desde os oito anos de idade, já expressava essa paixão.

Nascida em Sertãozinho, no interior de São Paulo, Rita conta que desde pequena observava as grávidas realizando tarefas difíceis, considerando a barriga. “Elas lavavam roupa na beira do rio, e andavam com baldes na cabeça”, lembra.

Na adolescência, Rita começou a cursar Arquitetura, mas não concluiu. Ela ainda se perguntava por que as grávidas não poderiam fazer exercícios físicos, se elas podiam – e faziam – tantas coisas. “Então, larguei a Arquitetura e entrei em um curso de Educação Física.

Rita continua os estudos e pesquisas sobre gestantes — Foto: Arquivo Pessoal

Entusiasta, Rochão começou a estudar sobre ginástica para gestantes ainda no primeiro ano da faculdade. No Brasil, ainda não se tinha muito conhecimento sobre o assunto, mas no exterior, sim. “Achei uma professora russa especialista no assunto, e comecei a encher o saco dela por seis meses, até ela aceitar me ensinar. No fim, deu certo”, relata.

Em paralelo, a então estudante conheceu a parteira que fez o parto dela, e acompanhou sua rotina de trabalho por alguns dias. Rita conta que o período na faculdade foi todo voltado ao conhecimento da saúde de gestantes.

Depois, a busca por um trabalho em que ela pudesse atuar na área foi repleta de desafios. Morando em Santos, ela começou a procurar academias que aceitassem adicionar o trabalho dela à grade. “Era não atrás de não. Ninguém acreditava no meu trabalho, além de não confiarem a saúde de uma grávida a uma pessoa que não tinha formação médica.

Após algumas tentativas, uma academia aceitou seus trabalhos. Na sequência, o desafio foi outro: encontrar gestantes. “Não adiantava colocar um banner na rua. Ninguém conhecia o assunto, não adiantaria nada”, diz.

Rita atua na primeira academia que a acolheu até hoje — Foto: Arquivo Pessoal

Rita, então, começou a marcar consultas com médicos obstetras particulares. “Eu ficava horas esperando, e quando me chamavam, eu apresentava meu álbum com imagens e definições de exercícios para gestantes. Eu queria que os médicos passassem a indicar meu trabalho, para eu receber as ‘barrigudas'”, explica.

Nesse meio tempo, Rita foi a uma consulta com o médico Condesmar Marcondes, e ele não apenas gostou da ideia, como fez uma proposta. “Ele foi um professor. Acompanhei partos com ele por cinco anos, ajudava as gestantes, e ele ainda me dava livros de conteúdo para ler e me perguntava sobre”, conta.

O médico obstetra contou ao g1 que sempre foi ligado a atividades físicas, e que enxergou em Rita um espírito de aprender muito forte. “No tempo em que ela acompanhou, ela fotografava, aprendia, dava instruções para gestantes, e aprendeu muito”, comenta.

Condesmar ainda diz que Rochão foi a precursora das doulas, e tinha conhecimento sobre muitas técnicas de parto que vieram a ficar conhecidas anos depois. “Na década de 1980, a gente já realizava partos le boyer. Ele começou a ficar mais conhecido há poucos anos”, relata.

Rita Rochão se mantém atualizada com estudos e pesquisas — Foto: Arquivo Pessoal

Foram nove meses até a primeira cliente de Rita aparecer na academia. “Uma gestação”, brinca. Não bastassem todos os desafios até receber alunas, ela sofreu ameaças de outros médicos, dizendo que se qualquer coisa acontecesse com as gestantes, ela seria processada.

“Eu sofri bastante, mas estudei mais. Aprendi muito e consegui reverter o jogo”. Rita acumula cursos em diversos países, e diz que ama o trabalho que realiza. “É lindo acompanhar o processo de gestação das mães e prepará-las para a vida. Para elas, é lindo e dolorido, e por isso é importante dar esse apoio”, reitera.

Rita Rochão ainda publicou o livro ‘Redondamente Grávida’, em novembro de 2021. Nele, ela apresenta crônicas sobre o que viveu em sua carreira. “Foi muito especial escrever”, finaliza.

Rita Rochão autografa livro em evento de lançamento — Foto: Arquivo Pessoal

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar