População da Baixada Santista cresce 9,7% nos últimos 12 anos, revela prévia do Censo do IBGE; confira os números



Região teve um aumento de 161,4 mil habitantes na comparação entre a prévia do IBGE em 2022 e o Censo de 2010. Santos, ao fundo continua como a cidade mais populosa. São Vicente, em primeiro plano, caiu para o terceiro lugar
Sérgio Furtado/Especial para o G1
A população da Baixada Santista, no litoral de São Paulo, teve um aumento de ao menos 161, 4 mil habitantes nos últimos 12 anos. O dado é resultado da comparação entre a prévia do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2022, com os números consolidados de 2010.
Ao confrontar as informações, notou-se que Santos teve uma queda de pouco mais de 5 mil moradores, a única com uma diminuição populacional. Veja dados por cidade no quadro abaixo.
Em 2010, com base nos dados do IBGE, a população da região era de 1.664.136. No último ano, a Baixada Santista passou para 1.825.584. A prévia do Censo foi divulgada no site do IBGE em 25 de dezembro.
O IBGE informou que, por lei, deve fornecer anualmente o número populacional dos 5.570 municípios do país para o Tribunal de Contas da União (TCU). Seguindo um modelo estatístico, o instituto entrega um resultado prévio de 2022 a partir dos 83,9% da população recenseada em todo o território nacional.
Balanço das cidades Veja dados por cidade no mais abaixo.
Apesar da queda de pouco mais de 5 mil habitantes, Santos segue como a cidade mais populosa da Baixada Santista com algo em torno de 414 mil moradores.
Praia Grande teve o maior crescimento populacional com aproximadamente 72 mil novos moradores, uma alta de 31% em relação a 2010, quando a cidade tinha 262 mil habitantes. Agora, com 334,8 milresidentes, a cidade assume o segundo lugar como mais populosa da região.
São Vicente também teve um aumento populacional, com base na prévia do IBGE 2022, mas não o suficiente para manter a posição no ranking das mais populosas. O município, que tem algo em torno de 334,6 mil moradores, caiu para o terceiro lugar na lista.
Guarujá passou de 290,7 mil moradores para 311,1 mil. Cubatão , por sua vez, registrou alta de 9 mil habitantes nos últimos doze anos, e chegou a 128,6 mil residentes.
Durante a última década, Itanhaém superou a marca de 100 mil habitantes. A cidade passou de 87 mil para 107,9 mil habitantes em 2022.
Peruíbe, Bertioga e Mongaguá ultrapassaram, cada, o número de 60 mil moradores. Chegaram a, respectivamente: 69,3 mil, 64 mil e 61 mil habitantes.
Prévia da comparação populacional na Baixada Santista, SP
Depoimento
Para a advogada Daniella Dias, de 25 anos, que saiu de Bertioga para morar em Praia Grande, o maior motivador para migrar foram as oportunidades de emprego e lazer que ela e o marido poderiam ter.
Ela contou ter se formado Bacharel em Direito e que desejava se mudar para uma cidade em desenvolvimento, e começar a desenvolver a carreira. “Como meu esposo passou no concurso público em Praia Grande, vimos nessa cidade a opção perfeita para nós”, disse.
Para a advogada Daniella Dias, de 25 anos, que saiu de Bertioga e atualmente mora em Praia Grande, no litoral de SP, o maior motivador para migrar de cidade foram as oportunidades de emprego
Arquivo Pessoal


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar