Policiais militares acusados de sequestrar e matar vendedor vão à júri popular no litoral de SP; vídeo flagrou confissão | Santos e Região

Dois policiais militares acusados de sequestrar e matar o vendedor Cristian Domingos de Almeida, de 33 anos, passam pelo tribunal do júri em Guarujá, no litoral de São Paulo, nesta quinta-feira (25). Meses após o crime, um vídeo obtido pelo g1 mostrou um dos réus confessando como matou o vendedor. O corpo de Cristian ainda não foi encontrado.

Cristian desapareceu na madrugada do dia 23 de janeiro do ano passado. Ele foi abordado por dois homens em um carro em uma rua do bairro Morrinhos e nunca mais foi visto. O sumiço foi denunciado na Delegacia Sede de Guarujá, onde o caso foi registrado como sequestro e passou a ser investigado.

Uma testemunha procurou o g1 e afirmou que dois policiais militares estariam envolvidos no desaparecimento do rapaz. Segundo o relato, um deles teria confessado o crime a essa pessoa e a revelação foi gravada em vídeo. Nas imagens, o PM José Edvanilson dos Santos Santana aparece fardado. Ele fala sobre um corpo que não foi encontrado e também sobre a investigação (veja vídeo abaixo).

Vídeo mostra PM confessando crime e dizendo que acreditava que 'não daria em nada'

Vídeo mostra PM confessando crime e dizendo que acreditava que ‘não daria em nada’

Santana foi preso em agosto do mesmo ano e permanece detido preventivamente até então no Presídio Romão Gomes, na capital paulista, aguardando o julgamento.

Já o outro réu, o também policial militar Paulo Sérgio Vieira da Silva, responde ao processo em liberdade. Ele foi identificado após o relato de uma testemunha do homicídio (leia mais abaixo).

Ambos respondem por homicídio qualificado por motivo torpe e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Além disso, como o corpo de Cristian nunca foi encontrado, os dois também foram denunciados por ocultação de cadáver.

O Tribunal do Júri teve início nesta quarta-feira (24) com duração de dois dias. No primeiro dia da audiência, testemunhas de defesa e acusação foram ouvidas. Já nesta quinta, os réus devem prestar depoimento e a sentença deve ser lida ao final do dia. A sessão teve início às 10h.

Uma testemunha presenciou o momento do sequestro e reconheceu os policiais após o ocorrido. O advogado Rodrigo Sorrentino, que representou a família da vítima na fase processual, explicou na época que foram usadas imagens de câmeras de monitoramento para identificar a placa do carro que levou Cristian.

“Por meio da placa, a polícia identificou que o veículo era de propriedade de um dos PMs investigados [José]. Um mês após Cristian desaparecer, esse PM deu queixa de furto do carro, porém, o inquérito mostra que quebrou-se o sigilo telefônico dele e, pela antena do celular, confirmou-se que ele estava no local, no dia e hora do crime”, explicou.

Além disso, conforme Sorrentino, foram apreendidos materiais na casa do outro PM envolvido, Paulo Sérgio, que aumentaram as suspeitas. A motivação do crime não foi revelada.

Suposto carro de sequestradores que levaram vendedor em Guarujá, SP — Foto: Arquivo Pessoal

VÍDEOS: as notícias mais vistas do g1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar