Orquestra da Fundação 10 de Agosto faz 1º concerto após o início da pandemia | Riviera, bairro mais sustentável do País

A Orquestra didática da Fundação 10 de Agosto fez na sexta-feira (17) o seu primeiro concerto desde o início da pandemia de Covid-19 e emocionou os presentes na tenda montada para o evento “Cidade Natal”, no centro de Bertioga.

Sob regência do maestro Joel Gonzaga, os 17 componentes da atual formação da orquestra tocaram 10 músicas, entre elas, Harry Potter (John Willians), Swan Lake (Peter Tchaikovsky). No encerramento, foram escolhidas “Cânticos de Natal” (John F. Wade/M. Leontovich) e a clássica “Então é Natal” (John Lennon).

Na abertura do evento, o prefeito Caio Matheus elogiou o trabalho da Fundação 10 de Agosto.

“Toda a equipe faz um belíssimo trabalho, que é digno do nosso reconhecimento. Esse projeto foi criado por um visionário, Luiz Carlos Pereira de Almeida, que teve a ideia genial de democratizar o acesso à cultura”, afirmou Matheus

A diretora executiva da Fundação, Keila Seidel, considerou que tocar nessa programação especial da Prefeitura de Bertioga foi “um privilégio muito grande”.

“Foi uma oportunidade de mostrar à comunidade o resultado de um trabalho que vem sendo desenvolvido há 28 anos de uma maneira muito séria”, disse.

‘Foi a superação de um desafio’

As medidas de isolamento social impostas pela pandemia fizeram com que o grupo tivesse apenas aulas online durante 2020. Os ensaios e atividades presenciais na sede da Fundação, que fica na Riviera de São Lourenço, só foram retomadas no segundo semestre deste ano.

Para o maestro Joel Gonzaga, a volta ao palco, após aulas online durante todo ano de 2020, foi uma grande superação — Foto: Felipe Magalhães/ PMB

Para o maestro Joel Gonzaga, a volta ao palco foi marcada pela superação.

“Os alunos foram obrigados a encarar as aulas online. Foi um ano repleto de desafios para não parar com aquilo que eles tanto amam”, observou.

Apesar de tantas dificuldades, os alunos tiveram o desempenho elogiado pelo maestro.

“Foi uma apresentação maravilhosa. Depois de tanto tempo sem condições para se apresentar, estávamos firmes e bem seguros. Foi feito com muito amor para o público”, afirmou.

O maestro disse ainda se sentir muito grato por lhe confiarem esse trabalho.

“Nós estamos preparando profissionais de ponta, com foco e compromisso, mas, sobretudo, para que sejam pessoas do bem. Nós nos empenhamos para edificar o ser humano, que é o lema da Fundação.”

‘Orgulho dos alunos da Fundação’

A violinista Victória Santos Silva, de 19 anos, disse que, depois de tanto tempo,

“nem lembrava mais qual era a sensação de subir no palco”.

“No começo eu fiquei até preocupada, porque ia tocar ao lado da minha professora, a Milena Giraud, mas foi mais fácil do que eu esperava. Foi uma apresentação muito boa”, contou.

Os músicos e musicistas afirmaram que foi um grande desafio subir ao palco depois de tanto tempo — Foto: Felipe Magalhães / PMB

Victória afirmou que conseguiu manter uma rotina de estudos durante a pandemia.

“Não me pergunte como, mas eu consegui estudar mais em casa. É verdade que nas aulas pelo celular a gente não escuta direito como o som está saindo, mas continuei estudando.”

A violinista, que está na Fundação desde os 15 anos, também elogiou o empenho dos colegas.

“Eu tenho muito orgulho de todos que estudam na Fundação, pois somos todos muito dedicados. Assim que puderam, todos voltaram para aulas presenciais. Eu acho que ninguém desanimou.”

Alunos da Fundação contam que têm muito orgulho uns dos outros, pois são todos muito dedicados — Foto: Arquivo Sobloco Construtora


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar