Nova operação torna Tiplam o mais ágil da Baixada Santista | Especial Publicitário – VLI

Transformar a logística com o aumento de eficiência nas operações é uma das premissas da VLI, companhia de soluções logísticas que opera terminais, ferrovias e portos. Para proporcionar ainda mais agilidade nas atividades de exportação do Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita (Tiplam), localizado na Baixada Santista, a empresa implementou um sistema de embarque simultâneo com dois carregadores (ship loaders) em um mesmo navio, aumentando exponencialmente a produtividade nos embarques de açúcar e grãos. Por meio da técnica, as operações alcançam uma taxa efetiva de carregamento de 4.300 toneladas por hora, fazendo dos embarques no Tiplam os mais ágeis para insumos do gênero. Dessa forma há um ganho de até 24 horas nos embarques em um navio que transporta 60 mil toneladas em comparação com os carregamentos que utilizam um único ship loader.

“A eficiência é a principal estratégia da VLI para gerar valor ao negócio. Apenas em 2020 nossas atividades portuárias movimentaram mais de 60 milhões de toneladas de insumos. Cerca de 20% da safra brasileira de grãos e açúcar é movimentada pela companhia. Este número representa o quanto a eficiência nas operações é importante para a balança comercial do país”, afirma o gerente-geral de Operações do Sistema Sudeste, Denílson Fernandes.

Responsável por 23% da soja e do milho exportados pelo Brasil, o Tiplam responde também por 22% de todo o açúcar exportado pelo Porto de Santos e tem se consolidado como um ativo referência no sistema logístico nacional, fruto de investimentos contínuos, que somam R$ 4,5 bilhões, nos últimos anos. A atividade da VLI em território paulista gera 2 mil postos de trabalho diretos e indiretos. Mesmo em 2021, ano extremamente desafiador para as economias brasileira e mundial, mais de 120 novos empregos foram criados pela companhia em São Paulo.

Embarques de açúcar e grãos são otimizados com carregamento duplo — Foto: Divulgação

O Tiplam movimentou, em 2020, 12,6 milhões de toneladas entre grãos, açúcar e fertilizantes. Esse volume é 16,3% maior que as 10,9 milhões de toneladas movimentadas no terminal em 2019 e 31,4% maior que os 9,6 milhões movimentados em 2018. No terminal, a integração com o modal ferroviário e a chegada de 100% da carga exportada pelos trilhos torna o processo de escoamento de produtos mais ágil e permite, por dia, o recebimento médio de seis composições, cada uma com 80 vagões, responsáveis pela entrega de 35 mil toneladas entre açúcar e grãos (no período da safra).

Terminal tem conexão com Ferrovia Centro-Atlântica — Foto: Divulgação

O TIPLAM se destaca pela capacidade de exportar grãos e açúcar por meio da conexão porto e ferrovia. Esse ano, a operação prepara um avanço capaz de aprimorar ainda mais um fluxo de importação. O terminal já está implementando uma nova estrutura de carregamento que permitirá que os insumos para fertilizantes importados sejam movimentados integralmente pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA). O investimento para viabilizar a operação é de R$ 107 milhões. Inicialmente, a capacidade instalada neste sistema comportará a movimentação de 825 mil toneladas ao ano.

23% da soja e milho exportados pelo Brasil passam pelo Tiplam

22% do açúcar brasileiro enviado ao exterior saem pelo terminal

100% da carga exportada chega pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA)

No pico da safra, cerca de 480 vagões chegam ao Tiplam diariamente

Nova operação torna Tiplam o mais ágil da Baixada Santista


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar