Montanha-russa quebra em SP, gera pânico e pessoas precisam ser resgatadas; VÍDEO | Santos e Região

Um parque de diversões com toques de “noite do terror”. Ao menos foi essa a sensação de quem acompanhou o resgate de quatro pessoas presas em um carrinho de montanha-russa, que parou de funcionar na noite de sábado (9), no parque Divertland, na Praia do Itararé, em São Vicente, litoral de São Paulo. O g1 teve acesso neste domingo (10) às imagens do resgate, que, inclusive, foi realizado por profissionais sem equipamentos de segurança. Ninguém ficou ferido.

Ao g1, a jornalista Fernanda Trigueiros contou que estava no local e filmou toda a ação. Segundo ela, não houve queda de luz que justificasse a parada repentina do carrinho da montanha russa. “A gente estava lá e, de repente, o carrinho parou. Os moços subiram, tentaram empurrar, e ele andou um pouquinho. Aí, parou de novo”, relata.

Segundo ela, chamou a atenção a falta de equipamentos de segurança ou mesmo um atendimento especializado para retirar as pessoas do carrinho. “O carrinho ficou lá e ninguém soube o que fazer. Vieram três rapazes do parque mesmo, e empurravam daqui e dali. Só que o trilho é vazado, oferecendo um risco enorme. Eles empurrando, andando de chinelo, lá no alto e o carrinho não ia. E poderia ser pior, ele [carrinho] poderia voltar e passar por cima dessas pessoas”, contou Fernanda.

Uma amiga da jornalista foi até uma pessoa, identificada como coordenador do parque, e relatou o que acontecia. Segundo ela, a resposta foi a indiferença. “Ele teria dito: ‘Não é comigo’. Não tinha seguranças, bombeiros, nada. E os caras lá em cima, pendurados”, descreveu.

Foi quando uma corda, puxada por um carro, foi utilizada para movimentar o carrinho e permitir a movimentação do carrinho. Mesmo assim, de acordo com Fernanda, a corda esticou tanto que havia o risco dela romper, o que não aconteceu.

“Ainda bem que não havia crianças ou alguém mais sensível, que acabasse se desesperando. O carro ajudou. No final, todo mundo bateu palma para os funcionários, que correram riscos. Subiram se pendurando pela estrutura. Ficou realmente muito feio”, narrou. “As pessoas resgatando o carrinho com a maior boa vontade, mas sem a menor condição”, complementou.

Em nota, a Prefeitura de São Vicente informou, por meio da Secretaria de Turismo (Setur), que, “de acordo com os proprietários do Parque Divertland, a montanha-russa estava passando por um teste de carga e lubrificação e, no momento em que parou, eram funcionários que estavam no brinquedo, e não visitantes”.

“A Administração ainda informa que todos os laudos e documentação que autorizam o funcionamento do Parque estão em dia, inclusive o do Corpo de Bombeiros”, complementou em nota.

A reportagem do g1 entrou em contato com a direção do Divertland, com outros questionamentos sobre o ocorrido, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.

Montanha russa quebrou em São Vicente, gerou pânico e pessoas precisaram ser resgatadas — Foto: Fernanda Trigueiros/Arquivo Pessoal

VÍDEOS: Mais assistidos do g1 nos últimos 7 dias


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar