Menina morre após sofrer acidente em SP e padrasto entrega para a mãe dizendo que ela ‘havia dormido’ | Santos e Região

Um homem que havia acabado de sair da cadeia, após passar por uma audiência de custódia, se envolveu em um acidente de carro que terminou com a morte da enteada, de apenas dois anos, em Bertioga, no litoral de São Paulo. Segundo informações obtidas pelo g1, o suspeito, Gian Gabriel Fraga, não possuía CNH.

De acordo com a Polícia Militar, o suspeito ainda levou a menina, desacordada, para a casa da mãe da criança e afirmou que ela ‘estava apenas dormindo’. Ao notar a situação, a mãe, imediatamente, a levou para o Hospital Municipal de Bertioga, onde ela acabou morrendo. Já o suspeito saiu do hospital após uma briga e não foi mais encontrado pelas autoridades.

Pouco antes de se envolver no acidente, Gian Gabriel Fraga foi preso em flagrante por tráfico de drogas. Policiais militares da Força Tática da 3ª Companhia o surpreenderam durante um patrulhamento na Rua General Osório, no bairro Jardim Paulista, na área central da cidade.

Ao ver os policiais, o suspeito correu para se esconder dentro de uma residência, e foi encontrado embaixo de uma cama. Ao ser abordado, Fraga entregou uma sacola plástica com 39 pedras de crack e seis tabletes de maconha, entre outras coisas. O criminoso foi encaminhado à delegacia de Bertioga, onde foi registrado um boletim de ocorrência. Fraga permaneceu no local à disposição da Justiça.

No dia seguinte, foi realizada a audiência de custódia. Após ele ser ouvido, a juíza expediu o alvará de soltura, determinando a liberdade provisória. Diante da soltura, foram impostas medidas cautelares, como a obrigação de comparecer ao Fórum a cada dois meses para informar o que está fazendo, e a proibição de sair ou mudar de cidade ou de endereço sem ter autorização prévia do juízo.

Fraga foi preso em flagrante com 39 pedras de crack, seis tabletes de maconha, 12 eppendorfs com cocaína e R$88 — Foto: Polícia Militar/Divulgação

Logo após ter saído da cadeia, ele resolveu pegar um carro em companhia da enteada, Agatha Rafaella de Mattos, e se envolveu em um acidente que causou um traumatismo craniano na criança de dois anos. À PM, a mãe da menina, Alessandra de Mattos, declarou que estava tomando banho quando o marido falou que iria sair com o carro de um amigo e que levaria Agatha. Fraga retornou dizendo que teria batido o carro contra um poste e que a criança estava bem e havia pegado no sono.

Assim que Alessandra viu a filha desacordada, imediatamente a pegou no colo e foi junto com Fraga ao Hospital Municipal de Bertioga, onde Agatha recebeu os primeiros atendimentos. Segundo relatado aos policiais, ao chegar no Pronto Atendimento, o casal discutiu e Fraga foi embora.

O Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), responsável pela gestão do Hospital Municipal de Bertioga, confirmou que a paciente deu entrada na unidade em estado grave. Após receber atendimento médico, a criança foi transferida para o Hospital Santo Amaro (HSA), no Guarujá. Segundo a assessoria do HSA, Agatha chegou à unidade em estado gravíssimo e com politraumatismo. Após passar 12 dias internada, a menina morreu.

A PM explicou ao g1 que Fraga não é considerado foragido, pois foi solto em audiência de custódia, e não houve flagrante do acidente. Mesmo sem a presença dele, a mãe da criança realizou o boletim de ocorrência. Conforme declaração da PM, a Polícia Civil deve abrir um inquérito policial para pedir a prisão preventiva do suspeito. A PM afirmou também que a criança estava dentro do carro, sem cadeirinha e sem cinto, e que o fato de Fraga não ter acionado o resgate pode ter ajudado a agravar o caso.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar