Jovem resgata gata recém-nascida da rua e mobiliza a web para custear tratamento: ‘Pensei que estava morta’ | Santos e Região

Uma gata recém-nascida mobilizou internautas enquanto lutava para sobreviver em Santos, no litoral de São Paulo. Resgatado por Ana Carolina Gonzalez de Souza, de 22 anos, o animal estava abandonado, exposto ao sol e à chuva, e pesava 200 gramas. Harley, como foi batizada, precisou enfrentar a rinotraqueíte felina, doença que a deixou temporariamente sem visão e com risco de perder os olhos.

Em entrevista ao g1, Ana Carolina contou que conheceu a história da Harley pelas redes sociais, em um grupo de resgate de animais. Segundo ela, uma mulher publicou que estava precisando de ajuda para resgatar uma gata com filhote que estava pegando chuva, no bairro Saboó. “Ela me disse que poderia ficar com a mãe, para castrar, mas o filhote precisava de ajuda. Os dias foram passando, e ninguém tinha ajudado. Todos os dias eu perguntava se elas ainda estavam lá, até que decidi pegar”.

De acordo com Carol, como prefere ser chamada, ela não esperava encontrar o animal em condições tão ruins. “Eu não sabia o que fazer, ela era minúscula, tinha o tamanho da minha mão. Achei até que ela estava morta, porque não abria os olhos e não tinha reação nenhuma”. Assim que a resgatou, a jovem levou a gata a uma ONG, onde passou por atendimento médico veterinário e precisou ficar internada. “A prioridade era fazer ela conseguir respirar, ela estava muito desnutrida e doente”, lembra.

A batalha de Harley para sobreviver começou logo após a internação. Sem dinheiro para custear o tratamento do animal, e com baixas expectativas por parte dos veterinários, a jovem, mesmo sem esperanças de que a gata sobreviveria, resolveu pedir ajuda na internet. “Eu tenho quase 10 mil seguidores e um bom engajamento, pensei que, talvez, isso pudesse ajudar em alguma coisa, mas não tinha esperança nenhuma, porque nunca pedi nada na internet. Eu fiz só porque não sabia o que fazer mesmo”, diz.

Cinco minutos após publicar o pedido de ajuda, três pessoas mandaram mensagem demonstrando interesse em contribuir. Em dez minutos, 15 pessoas já haviam entrado em contato para colaborar com o tratamento do animal. “Em pouco tempo, começou a tomar uma proporção muito grande, eu não fazia ideia. Nos stories, tinha mais de 100 compartilhamentos. Depois que postei no feed, mais 400 pessoas compartilharam. Juntando os dois, ultrapassou a margem de 500”, relata a tutora.

Enquanto a jovem arrecadava recursos para salvar a vida da gata, os veterinários também tinham notícias melhores. O pet estava se alimentando, mas ainda precisava de muitos cuidados. Após três dias de internação, Harley foi liberada para ir para casa, com uma grande quantidade de remédios para tomar. “Ela precisava de muitos cuidados, como um bebê mesmo. Precisava fazer inalação três vezes ao dia, e tinha que ficar dando remédio de quatro em quatro horas”, lembra.

Minutos depois de pedir ajuda nas redes sociais, diversas pessoas entraram em contato com Ana Carolina — Foto: Reprodução/Instagram

Em casa, a tutora percebeu que o animal não estava enxergando. “Eu reparei que ela batia muito nas coisas, e também tateava demais para sair do lugar. Não conseguia encontrar a comida”, explica. Para tratar os olhos de Harley, Carol entrou em contato com Felipe Pompeu, veterinário especialista em oftalmologia animal, que ajudou a recuperar a saúde ocular da gata.

De acordo com Pompeu, Harley teve uma infecção bacteriana nos olhos, ocasionando a formação de uma úlcera, que foi se aprofundando até o ponto de causar uma perfuração nos dois olhos. “Nesse momento, eu sugeri que removêssemos os dois olhos, pois eles estavam comprometidos, com bastante remela, inchados, vermelhos. As pálpebras estavam bem machucadas por causa da inflamação”, explica.

Segundo o especialista, para tratar os olhos do animal, foi necessária uma cirurgia utilizando a técnica ‘crosslinking’, procedimento que começou a ser realizado em animais há cerca de oito anos. O resultado do tratamento, trazido da Suíça, superou as expectativas do profissional. “Os olhos ficaram absolutamente perfeitos, inclusive, sem nenhuma cicatriz. É normal que fique uma cicatriz, mas, no caso dela, nem isso ficou”, comenta.

Para Pompeu, foi gratificante ter salvado os olhos de um animal que estava tão debilitado. “Não tem nada melhor do que salvar a vida de um olho. É algo tão importante para todos, salvar a possibilidade de um animal viver o resto da vida enxergando, não tem preço”.

Depois da cirurgia, Carol percebeu que a gata havia voltado a enxergar. Segundo a jovem, Harley ainda necessita de cuidados especiais para os olhos. No entanto, é cheia de vida, como deve ser. “Ela é brincalhona, muito folgada e doida. Ela enfrenta tudo, cachorro, doença, outros gatos”, finaliza.

Harley precisou passar por um procedimento cirúrgico para recuperar a saúde dos olhos — Foto: Arquivo Pessoal/Ana Carolina Gonzalez de Souza

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar