Jovem de 19 anos morre após cesárea e viúvo se desespera: ‘Não sabemos o que aconteceu’ | Mais Saúde

A jovem Ana Karolina Fonseca, de 19 anos, morreu após dar à luz sua segunda filha em Bertioga, no litoral de São Paulo, na madrugada de quarta-feira (13). Por nota, o Hospital Municipal afirmou que ela teve uma “séria complicação” depois do parto, sem dar mais detalhes (veja nota ao fim da matéria).

Ao g1, o viúvo, Clebson da Silva Sousa, de 25 anos, relatou que as pessoas mais próximas à jovem ainda estão em estado de choque com a morte dela. “O histórico médico dela era impecável. Saudável. Estamos muito abalados”, disse por telefone nesta sexta-feira (15).

“Só voltamos ao hospital [depois da morte dela] para buscar minha filha, mas vou tomar todas as medidas cabíveis para descobrir o que aconteceu. Não vou deixar isso passar em branco, para que nenhuma outra família precise passar por isso”, desabafou o viúvo.

Ana Karolina, que já tinha uma filha de 3 anos, estava na 41ª semana de gestação. Segundo Clebson, a companheira fez todo o acompanhamento pré-natal, que não apontou que a gravidez fosse de risco em nenhum momento.

Na última terça-feira (12), o casal foi ao Hospital Municipal de Bertioga para que a jovem fosse internada, e a cesárea realizada. Antes, ela fez alguns exames complementares, que também não apresentaram alterações relevantes.

O casal esperou mais algumas horas para que Ana Karolina fosse levada à sala de cirurgia. O chamado aconteceu por volta das 11h. “Assisti ao parto, foi tranquilo. Assim que tiraram o bebê dela, ela estava bem, disse que estava tudo certo”, conta Clebson.

Jovem de 19 anos morreu horas após o parto da segunda filha — Foto: Arquivo pessoal

Depois do nascimento, Clebson chegou a ver a esposa novamente, quando ela já estava na enfermaria da maternidade. “Ela disse que estava um pouco tonta e enjoada, vomitando um pouco. A barriga dela estava sangrando, também”. Segundo ele, uma enfermeira chegou a dizer que o sangramento era normal.

“Ela conversava comigo, brincava e falava sobre a nossa filha”, relembra. “Foi a última vez que a vi com vida”. Eles ficaram juntos até o início da noite, quando a mãe de Ana chegou à maternidade para que Clebson pudesse voltar para casa e descansar.

No entanto, por volta das 20h, ele recebeu uma ligação da sogra, muito preocupada. “Ela me ligou e disse que a Karol estava sangrando muito, e com a boca roxa”, recorda. Um médico foi chamado para averiguar a situação.

“O médico levou ela para o centro cirúrgico imediatamente. Disseram que tentaram conter o sangramento, e que a última tentativa de salvá-la seria tirar o útero dela”, lembra o viúvo.

Ana Karolina sobreviveu ao procedimento de retirada do órgão e ficou intubada sob observação. No entanto, no início da madrugada desta quarta-feira, por volta da 0h, a família recebeu a notícia do falecimento.

Agora, Clebson busca respostas, para saber o que pode ter acontecido com sua esposa, que aparentava estar saudável até a cesárea ser realizada. Ele registrou um boletim de ocorrência relatando a morte repentina de Ana Karolina na Delegacia Sede de Bertioga. Clebson também está em contato com um advogado, para receber orientações sobre quais trâmites legais seguir.

Procurado pelo g1, o Instituto Nacional de Tecnologia e Saúde (INTS), responsável pela gestão do Hospital Municipal de Bertioga, informou, por nota, que Ana Karolina Fonseca teve uma séria complicação pós-parto e, apesar de todos os esforços e manobras realizadas pela equipe médica, não resistiu e veio a óbito.

Disse, também, que o bebê passa bem, e que os familiares da paciente foram imediatamente informados sobre o ocorrido e sobre suas causas. A equipe do hospital segue à disposição dos familiares para quaisquer outros esclarecimentos. “Em nome de toda a equipe de médicos, enfermeiras e colaboradores, o HMB se solidariza com a família de Ana Karolina Fonseca”, finalizou.

VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar