Instituto busca ‘tutor ideal’ para cadela resgatada em Petrópolis após tragédia: ‘problema emocional seríssimo’ | Santos e Região

O Instituto Viva Bicho, em Santos, no litoral de São Paulo, está em busca do ‘tutor ideal’ para Sofia, cadela que foi resgatada em Petrópolis, no Rio de Janeiro, após a maior tragédia já registrada na história do município, em fevereiro deste ano. Segundo a entidade, ela tem um “problema emocional seríssimo”, está em tratamento e precisa de um lar que acolha suas necessidades – que são poucas, mas essenciais.

O Instituto afirma que o tutor ideal para a vira-lata seria um casal de idosos com rotina tranquila, já que Sofia tem aproximadamente 8 anos, é muito dócil e costuma ficar horas deitada. O comportamento se deve, em partes, ao trauma sofrido na tragédia em Petrópolis.

Cadela Sofia no dia em que foi resgatada em Petrópolis (RJ), após tragédia em fevereiro de 2022 — Foto: Reprodução/Instituto Viva Bicho Santos

Leila Abreu, que é pós-graduada em bem-estar e comportamento animal e integra a equipe do Instituto, explicou que é possível, sim, que animais desenvolvam quadros traumáticos e até sequelas devido a algum episódio marcante.

“A Sofia passou por um estresse muito grande e ficou em estado de choque por um bom tempo. Ela ficou no abrigo de Petrópolis isolada dos outros, porque não se deixava tocar, não parava de tremer, não comia e não bebia. E durante muitos dias ficou assim”, explica.

Leila conta que a cadela seguiu naquele estado até que uma médica veterinária contatou o Instituto Viva Bicho de Santos solicitando um tratamento específico para a vira-lata. A equipe acolheu o animal e iniciou o tratamento físico e psicológico com homeopatia e florais voltados para questões emocionais de ansiedade, medo e insegurança.

Instituto Viva Bicho Santos acolheu Sofia após tragédia em Petrópolis — Foto: Reprodução/Instituto Viva Bicho Santos

“Mudamos o comportamento dela. Tiramos ela do ambiente estressante, colocamos num ambiente absolutamente silencioso e ela começou a demonstrar algumas reações. Hoje, se qualquer animal chega perto dela, ela morre de medo. Mas, é extremamente dócil com as pessoas”, comenta Leila.

A especialista em comportamento e bem-estar animal acrescenta que o tutor ideal de Sofia deve entender suas necessidades. “Ela passa 24 horas por dia no sofá, só tem que descer para fazer as necessidades no tapete higiênico. É uma cachorra muito caseira. Não é para famílias com criança, por exemplo, mas para pessoas com mais de idade”, pontua.

O Instituto Viva Bicho de Santos realiza uma seleção para a escolha dos tutores dos animais acolhidos e com Sofia não é diferente. Interessados que se encaixem no perfil podem entrar em contato pelo número: (13) 99610-5629.

Cadela Sofia teve melhora significativa no comportamento social — Foto: Reprodução/Instituto Viva Bicho Santos

No último dia 15 de fevereiro, dezenas de pessoas morreram em Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, após uma tempestade, que causou deslizamentos e outras tragédias.

Quase um mês depois, no dia 4 de março deste ano, a Prefeitura de Petrópolis confirmou que o número de mortos atingiu 233, e quatro pessoas ainda estavam desaparecidas. Os impactos da tragédia atingiram milhares de famílias, que perderam entes queridos, bens e moradias.

Vista aérea após o deslizamento de terra em Petrópolis (RJ), em fevereiro de 2022 — Foto: Presidência da República (via AFP)

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar