Home Office traz novos moradores para a Baixada Santista | MERCADO IMOBILIÁRIO BAIXADA SANTISTA

O mercado da construção civil segue aquecido na Baixada Santista, um dos motivos é por empresas de outras cidades, principalmente da capital de São Paulo, optarem por manter o trabalho em home office.

Sendo assim, muitas pessoas optaram por vir para a Baixada Santista e essa escolha se dá por inúmeros fatores, como a beleza dos munícipios e até a própria qualidade de vida presente na região.

A chegada destes novos moradores é um dos motivos do grande número de projetos imobiliários com mais de dez andares ter mais que dobrado na cidade de Santos. As informações são do Departamento de Controle do Uso e Ocupação do Solo e Segurança de Edificações (Deconte).

Ainda assim, este ramo segue ameaçado em função da alta da Taxa Selic em 2022. O aumento de 10,75% para 11,75% neste ano fez com que os custos para o financiamento mobiliário aumentassem, dando uma freada na procura.

A alta no Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM) também preocupa empresários e até moradores. Este é um dos principais indicadores para atualizar os preços de aluguéis.

Em maio de 2022, o índice registrou uma alta no ano de 7,54%, número que faz sentido em razão da pandemia da Covid-19, mas é considerado alto em situações normais.

O publicitário Flávio Ido, de 34 anos, foi uma das pessoas que decidiu migrar para a região durante o trabalho remoto.

“Sempre quis vir de vez para a Baixada Santista, quando entrei de home office, vi que era uma boa oportunidade para me mudar”.

“Fora a beleza da cidade (Santos), aqui também tenho muita facilidade em me locomover e a qualidade de vida é ótima”, conta Flávio.

Já Arabela Modesto, que é contadora, não pensava em se mudar para a Baixada Santista, mas foi convencida pela família.

“Meu marido e filhas sempre amaram o litoral e acabei sendo influenciada a morar aqui com eles depois de começar a trabalhar de forma remota”.

Agora, a vontade de permanecer já está presente na mulher de 48 anos.

“Hoje não penso mais em sair, a região tem uma infraestrutura que me atende muito bem e mesmo sendo cidades movimentadas, ainda consigo sentir a tranquilidade do interior”, destaca.

A expectativa é de que o mercado siga em alta e traga ainda mais frutos para o Brasil. Vale lembrar que o setor é uma das promessas para conseguir alavancar a economia brasileira após forte crise causada pela Covid-19.

Para saber mais sobre o setor, que é tão importante na Baixada Santista, o Grupo Tribuna realizou no dia 4 de julho o Summit da Construção.

O evento contou com painéis e palestras apresentados por convidados para levantar a discussão de vários assuntos relacionados à construção civil.

A cobertura completa poderá ser acompanhada no especial do G1 Santos e região, nos telejornais da TV Tribuna e também nos cadernos especiais do jornal impresso, que estarão nas bancas entre os meses de julho e agosto.


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar