Governo Federal confirma suspensão de cruzeiros no Brasil até 21 de janeiro | Porto Mar

O Governo Federal informou que se reuniu, na manhã desta segunda, com empresas do setor, para discutir a situação dos cruzeiros.

Por meio de nota, a Casa Civil informou que houve, também, na parte da tarde, uma reunião com secretários de Saúde de estados e municípios para discutir o atual plano de operacionalização da atividade de cruzeiros diante do aumento de casos da variante ômicron do coronavírus em embarcações na costa brasileira, mesmo que, em sua totalidade, leves ou assintomáticos.

O Governo Federal afirma que continuará, nos próximos dias, a promover reuniões com municípios, estados e empresas para, juntos, reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades.

Horas antes da nota divulgada pela Casa Civil, a Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros anunciou a suspensão voluntária imediata das operações nos portos do Brasil até 21 de janeiro. No Porto de Santos, no litoral de São Paulo, dois navios estão em quarentena, o Costa Diadema e o MSC Splendida.

A medida foi anunciada por meio de nota, após casos de Covid-19 serem confirmados dentro de embarcações e dois navios entrarem em quarentena. Segundo a associação, os casos da doença identificados em navios de cruzeiro “consistem em uma pequena minoria da população total a bordo”.

Conforme a Clia, a suspensão temporária e voluntária ocorre com efeito imediato para novas partidas, e nenhum hóspede será embarcado. Somente os cruzeiros atuais vão finalizar seus itinerários conforme planejado.

Em Santos, o Costa Fascinosa tinha embarque previsto para esta segunda-feira, mas a empresa confirmou que a embarcação não realizará a viagem. Havia passageiros esperando há mais de sete horas no Terminal Marítimo de Passageiros (Concais).

A associação afirma, ainda, que está trabalhando em nome da MSC Cruzeiros e da Costa Cruzeiros para alinhar com as autoridades do Governo Federal, Anvisa, estados e municípios em relação às interpretações e aplicações dos protocolos operacionais de saúde e segurança que haviam sido aprovados no inicio da atual temporada, no mês de novembro.

Aumento exponencial de casos

De acordo com a Anvisa, foi o aumento exponencial do número de casos de Covid-19 a bordo de navios de cruzeiro que motivou a recomendação para suspensão da temporada.

Segundo a agência reguladora, desde o início da temporada, no dia 1º de novembro, até esta segunda-feira, foram confirmados 829 casos de Covid-19 entre tripulantes e passageiros das cinco embarcações que operam no Brasil.

Ainda de acordo com a Anvisa, a recomendação teve como fundamento o aumento acelerado dos casos de Covid-19 a bordo das embarcações nos últimos dias, que indica uma “mudança radical” do cenário epidemiológico. Esse aumento pode ser confirmado pelos dados disponíveis, que apontam a detecção de 31 casos de Covid-19 nos 55 dias iniciais da temporada (de 1º/11 a 25/12), com uma explosão acentuada a partir do dia 26/12, tendo sido registrados 798 casos em apenas nove dias (de 26/12 a 03/01), o que representa um aumento de 25 vezes nesse período.

Além disso, a agência afirma que chama a atenção a identificação de 502 casos entre tripulantes, o que representa 60% dos casos positivos a bordo das embarcações. Por se tratar de viajante com maior período de permanência nas embarcações, a ocorrência de infecção entre a tripulação agrega maior grau de risco à condição sanitária desses navios.

A Anvisa reforça que, desde agosto de 2021, já havia se manifestado pela inviabilidade da retomada da temporada de navios de cruzeiro no Brasil, a qual deveria estar condicionada à avaliação do cenário epidemiológico do país.

Segundo a Anvisa, há atualmente cinco navios de cruzeiro operando em águas brasileiras. O Costa Diadema teve a operação interrompida na sexta-feira (30). A embarcação chegou ao Porto de Santos na manhã desta segunda-feira para o desembarque dos passageiros e tripulantes a bordo. A companhia marítima Costa Crociere anunciou o cancelamento das próximas duas saídas do cruzeiro, que entrou em quarentena.

O navio MSC Preziosa atracou na manhã deste domingo no Porto do Rio de Janeiro. O desembarque dos passageiros foi iniciado após avaliação das autoridades de saúde da situação epidemiológica a bordo. A embarcação está no nível 3 do cenário epidemiológico. De acordo com essa avaliação, os novos embarques neste domingo foram autorizados.

Já o Costa Fascinosa e o MSC Seaside seguem operando, no nível 3 do cenário epidemiológico, mas, segundo a Anvisa, a mudança deste cenário pode impedir novos embarques e levar ao encerramento dos cruzeiros. O Costa Fascinosa está no Porto de Santos, e passageiros aguardam para saber se a embarcação seguirá ou não viagem.

Neste domingo, passageiros que aguardavam para embarcar no MSC Splendida em Santos foram informados que o navio não seguiria viagem, após aguardarem no terminal de embarque durante todo o dia. Apesar do anúncio aos passageiros ter sido feito apenas durante a noite, a Anvisa informou que a embarcação já havia sido notifica no sábado (1º) sobre o impedimento de embarque.

O MSC Splendida já havia tido sua operação interrompida no último dia 30, com passageiros isolados em suas cabines. O cenário epidemiológico do navio foi alterado para nível 4 no domingo, que implica em quarentena para a embarcação.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar