Geobags instalados na Ponta da Praia, em Santos, serão vistoriados por especialistas da Unicamp | Santos e Região

A barreira submersa feita com sacos de areia, conhecida como geobags, instalada na Ponta da Praia, em Santos, no litoral de São Paulo, deve passar por vistoria nesta sexta-feira (23). A estrutura impediu que estragos acontecessem na orla após uma forte ressaca no início do mês.

Técnicos da Universidade de Campinas (Unicamp) farão a inspeção, que dependerá das condições climáticas para acontecer. De acordo com a Defesa Civil de Santos, há previsão de nova ressaca para este final de semana.

A ressaca que atingiu a região no dia 11 de setembro casou estragos próximo ao Aquário Municipal, como calçadas e muretas que cederam. A administração municipal apontou que os geobags evitam que acontecessem estragos nos trechos de calçadas protegidos pela estrutura.

Prefeitura de Santos isolou com tapume e cerquite as áreas afetadas pela ressaca do dia 11 de setembro — Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal de Santos

Na época, a prefeitura afirmou que fará uma inspeção com mergulhadores para verificar a integridade dos geobags em toda a extensão. Porém, essa operação deve ocorrer nos próximos dias. Nesta sexta-feira (23), segundo a administração municipal, o procedimento será feito por funcionários da Universidade de Campinas (Unicamp).

“Será uma vistoria dos especialistas da Unicamp aos geobags. A vistoria será realizada com barcos. Não está confirmada a participação de mergulhadores. Ratificamos a condicionalidade relacionada ao clima e maré”, afirmou a prefeitura, em nota.

Em conversa com o g1, o professor e pesquisador da Unicamp, responsável pelo projeto piloto da Ponta da Praia, Tiago Zenkrr Gireli, afirmou que a inspeção será visual, com a finalidade de acompanhar como está o projeto, por conta da ressaca. Ele ressaltou que é um levantamento excepcional, mas que tudo indica que não há novas alterações causadas pelas fortes ondas.

“A integridade da estrutura acaba sendo avaliada de maneira indireta, além da questão visual, pelo comportamento da areia da praia no entorno da estrutura. Quanto a gente tem algum geobag que esvazia, por exemplo, a areia no entorno dele responde a isso. De toda forma, nosso mapeamento do perfil da praia acaba captando possíveis efeitos de mudanças na geometria do piloto”, explicou.

Geobags impediram que mais estragos acontecessem após forte ressaca em Santos — Foto: Doug Fernande/Prefeitura Municipal de Santos

De acordo com o meteorologista da Defesa Civil de Santos, Franco Cassol, há um alerta para ressaca na cidade a partir desta sexta-feira (23), com pico de maré previsto para a tarde de sábado (24), sem estimativa, até o momento, de quantos metros as ondas devem chegar.

“O horário do pico mais alto da maré será no sábado por volta das 15h, segundo o modelo de previsão do NPH-Unisanta [Núcleo de Pesquisas Hidrodinâmicas da Universidade Santa Cecília]. Convém mencionar também a alta frequência de ressacas neste ano. Já foram 13 eventos até agora, contra nove ao longo de todo o ano passado”, ressaltou o especialista.

Os geobags, barreira submersa de 275 metros e com 49 sacos de geotêxtil em formato de ‘L’, estão instalados em linha reta em frente à praia, a partir da mureta na altura da Rua Afonso Celso de Paula Lima. Estes bags, segundo a prefeitura, tem a função de diminuir a força das ondas. Já a estrutura instalada paralela à praia, de 245 metros de extensão, tem o objetivo de ajudar a armazenar areia.

Geobags têm a função de diminuir a força das ondas, impedindo estragos causados pelas ressacas — Foto: Francisco Arrais/Prefeitura Municipal de Santos

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar