Funcionários de ônibus municipais de São Vicente protestam contra falta de pagamentos | Santos e Região

Motoristas e funcionários da Otrantur, concessionária responsável pelo transporte público municipal de São Vicente, no litoral de São Paulo, realizam uma paralisação na manhã desta segunda-feira (10). Eles reivindicam o pagamento de vencimentos atrasados desde 30 de dezembro. Segundo eles, apenas cerca de dez ônibus saíram da garagem nesta segunda.

A paralisação do serviço começou por volta de 4h. Nenhum ônibus saiu da garagem no horário previsto em São Vicente. Por volta de 7h15, cerca de dez coletivos saíram do local e começaram a circular, à pedido da empresa, segundo os motoristas. As linhas desses veículos atendem, principalmente, à população da Área Continental do município.

Dezenas de motoristas se reuniram em frente a garagem, localizada na Rua Frei Gaspar, e permanecem no local reivindicando o pagamento dos vencimentos relativos ao mês de dezembro.

Ao g1, um dos motoristas que participam da paralisação e que preferiu não se identificar, disse que a empresa informou aos trabalhadores que não há previsão para realizar os pagamentos. “Dizem que só vão ter dinheiro se a prefeitura ajudar”, disse. “Sempre mudam a data e sempre atrasam”.

Trabalhadores da Otrantur fazem paralisação em frente à garagem de ônibus nesta segunda-feira (10) — Foto: Matheus Croce/g1

Em um comunicado enviado aos funcionários na última sexta-feira (7), a Otrantur lamenta a falta de pagamento dos vencimentos de dezembro e diz que não consegue arcar com as despesas sem o subsídio por parte da prefeitura. O documento foi assinado pelos diretores Dário Alencar e Omar Rodrigues.

Em um posicionamento divulgado à imprensa, a Otrantur informou que o movimento grevista formado pelos funcionários é irregular, não conta com a presença de representantes do sindicato da categoria e também não observa os requisitos legais. Todas as linhas de ônibus foram afetadas, segundo a concessionária.

Sobre a reivindicação dos trabalhadores, a empresa disse que os atrasos acontecem em virtude de uma crise financeira “imposta não só pela pandemia, mas por diversos outros eventos, tais como o não reajuste da tarifa, aumento do diesel, fechamento do município em virtude da Covid, sem nenhuma contrapartida por parte da administração pública”, diz a nota.

A empresa disse, ainda, que pediu auxílio à prefeitura por meio de ofícios e demais documentos técnicos, mas não obteve retorno. A Otrantur também informou que tentou pela antecipação do pagamento de vales transportes pela prefeitura, para conseguir quitar as dívidas com os funcionários, mas não obteve resposta.

O contrato de concessão, segundo a concessionária, encontra-se em desequilíbrio desde 2020. O prejuízo pela falta de reajuste das tarifas superaria, assim, R$ 7 milhões.

A Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Defesa e Ordem Social (Sedos), informou ao g1 que a empresa e o sindicato da categoria serão notificados para que os colaboradores retornem o serviço o mais breve possível para não prejudicar os usuários do transporte coletivo.

VÍDEOS: as notícias mais vistas do g1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar