Funcionário público suspeito de aplicar vacina da Covid-19 com registro de enfermeiros é indiciado por falsidade ideológica | Santos e Região

Um funcionário público foi identificado e indiciado após se passar por enfermeiro para aplicar vacinas contra a Covid-19 em Registro, no interior de São Paulo. O jovem de 27 anos é da área administrativa, e segundo a Polícia Civil, utilizou o registro de dois enfermeiros para a prática ilegal. Ele responderá pelos crimes de falsidade ideológica, usurpação de função pública e exercício ilegal de profissão.

A denúncia foi recebida pelas autoridades no último dia 26. A mãe de um adolescente de 17 compareceu à delegacia e mostrou que o filho foi vacinado pelo suspeito. No cartão, constavam dois números diferentes do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP). Diante da queixa, equipes da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Registro passaram a investigar o caso, e descobriram que ele não possuía registro para atuar como profissional da enfermagem.

Os registros do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP) usados pelo servidor pertencem a dois outros profissionais da área: um da capital paulista e outro de Guarulhos. Um dos registros está cancelado desde 2020, e nenhum dos dois tem nome correspondente ao do funcionário.

Números de registro utilizados por funcionário correspondem a pessoas diferentes — Foto: Reprodução/Coren

Logo após a denúncia, a Secretaria Municipal de Saúde afastou o servidor de suas funções, e foi instaurada uma comissão, via portaria municipal, de apuração sobre o caso, designando uma equipe de investigação.

A polícia verificou que, além de diversos moradores, ele também havia aplicado as doses em uma associação destinada a adolescentes e crianças portadoras de necessidades especiais, localizada no bairro Nosso Teto.

Na segunda-feira (8), a equipe de investigação seguiu para a casa dele, localizada no Centro, para cumprir um mandado de busca e apreensão. No imóvel, os policiais apreenderam o celular do servidor. Em seu local de trabalho, foram encontrados carimbos falsificados. Ele foi encaminhado para a DIG, onde confessou que não é enfermeiro, e que utilizava carimbos com dados falsificados.

Suspeito não tinha registro para trabalhar como enfermeiro e utilizava carimbos com Coren de dois profissionais — Foto: Divulgação/Polícia Civil

Diante das provas, a Polícia Civil o indiciou pela prática de crime de falsidade ideológica, usurpação de função pública e exercício ilegal de profissão. As investigações seguem para apurar a responsabilidade de outras pessoas com os crimes investigados, além de outras possíveis irregularidades ocorridas durante o processo de vacinação.

Em nota, a Secretaria de Saúde informa que está colaborando com a investigação da Polícia Civil, fornecendo todas as informações solicitadas. Paralelo a este procedimento, foi instaurada uma comissão pela pasta para apuração da denúncia. O processo já está em andamento, e a previsão é que seja encaminhada a documentação até o fim da próxima semana para a Secretaria de Assuntos Jurídicos e Segurança Pública, a fim de que a análise seja concluída e sejam aplicadas as medidas cabíveis no rigor da lei.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar