Família busca jovem de 16 anos desaparecida há 7 meses no litoral de SP: ‘Espero qualquer coisa’ | Santos e Região

Uma família de São Vicente, no litoral de São Paulo, está procurando por uma adolescente de 16 anos que desapareceu há cerca de sete meses. De acordo com a tia da jovem, ela saiu de casa levando uma mochila, o celular e o RG, e não foi mais vista pelos familiares e amigos.

Segundo a auxiliar de limpeza Maria Alves dos Santos, de 57 anos, a irmã dela, mãe da jovem Vitória dos Santos Oliveira, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) há cinco anos, por isso, Maria levou a irmã e a sobrinha para morarem com ela, para que ela pudesse cuidar das duas. Porém, Vitória começou a sair escondida e a não aceitar as reclamações da tia.

Em abril deste ano, segundo Maria, a jovem saiu de casa levando uma mochila, o RG e o celular. A tia achou que ela voltaria em alguns dias, mas, em sete meses, ela não teve nenhuma notícia sobre a menina. A família tentou contato com ela pelo celular, mas não conseguiu.

Alguns dias após o desaparecimento, um conhecido da família relatou que viu Vitória no Centro de Santos, também no litoral de São Paulo. A tia foi ao local procurá-la, mas sem sucesso. Maria relata que a irmã chora todos os dias e mal consegue dormir devido à preocupação e saudade da filha.

“Eu me sinto com as mãos amarradas por ver minha irmã sofrendo e não poder fazer nada. Algum tempo atrás, uma pessoa me falou que a viu no Centro de Santos, eu andei que nem ‘doida’ procurando, saí andando sem rumo, mas não achei”, conta.

A família tentou localizá-la no bairro onde ela morava, com amigos e familiares, mas ninguém possuía informações. Em contato com a escola, para saber se ela estava assistindo às aulas, a unidade explicou que a matrícula havia sido cancelada no início do ano, por ela não estar participando das aulas do ensino híbrido.

No dia 30 de abril, a família registrou um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento da jovem, e desde então, a Polícia Civil investiga o caso. “Graças a Deus, até agora não ouvi nada sobre algo ruim ter acontecido com ela. Às vezes, o telefone toca e eu fico com medo, porque espero qualquer coisa. Estou preparando minha irmã para receber qualquer notícia. É muito complicado”, conclui.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar