Elevador onde funcionário ficou preso por 36h no Carrefour só abre por fora e precisava de manutenção, diz ex-repositor | Santos e Região

O funcionário estava desaparecido desde o último sábado (25) e só foi encontrado no início de expediente de segunda-feira (27). A mãe dele chegou a divulgar nas redes sociais que o filho era usuário de remédios controlados e que nunca havia ficado fora de casa sem dar notícia antes.

O supermercado funcionou no domingo (26). Mesmo assim, o funcionário só foi localizado na manhã desta segunda-feira, no início do expediente dos trabalhadores do primeiro turno. Ele estava preso dentro do elevador, onde passou cerca de 36 horas aguardando para ser libertado, sem comer ou beber.

Elevador de carga do Carrefour onde funcionário ficou preso por 36 horas em Santos, SP — Foto: g1 Santos

Os dois ex-funcionários ouvidos pelo g1 apontam que o equipamento necessitava de manutenção há muito tempo, e relatam outros casos de funcionários precisarem aguardar para serem libertados do equipamento.

Um deles, Sérgio Ribeiro, de 41 anos, atuou até março deste ano na unidade como segurança terceirizado. Ele afirma que os problemas com o equipamento são antigos. “Os responsáveis já tinham sido orientados para fazer manutenção naquele elevador. Sempre travou“, disse.

“Deu sorte que o garoto não morreu”, disse. “Falta de responsabilidade dos gerentes, por não restringir o acesso aos funcionários que fazem apenas o transporte das mercadorias ao estoque”, criticou.

O outro ex-colaborador atuou como repositor por oito anos na mesma unidade e conhece o funcionário dado como desaparecido, mas prefere não ser identificado. O ex-repositor explica que trabalhou no supermercado entre os anos de 2011 e 2018, mas que os problemas perduraram por todos esses anos.

“Logo que falaram que ele tinha ficado preso no elevador, eu já imaginei qual teria sido”, diz o ex-funcionário.

Caso aconteceu na unidade do Carrefour em Santos, SP — Foto: Emilio Pechini

Segundo ele relatou ao g1, são dois elevadores no supermercado, que levam as mercadorias por três andares, sendo que dois deles são de estoque. Ele explica que os botões de dentro do equipamento não funcionavam e que, também, não havia sensor que impedia a porta de fechar. Para mantê-la aberta, é preciso que o funcionário tenha a chave do equipamento. O funcionário Sergio confirmou que esse mesmo problema permanecia há cinco meses.

“Você tinha que virar a chave para a porta não fechar. Se a chave não virasse, você estivesse dentro do elevador e a porta fechasse, ia fechar com você lá dentro e você ia subir. Não tinha como você apertar qualquer botão para a porta reabrir por dentro“, explica. Ele aponta que esta pode ter sido a causa do funcionário não ter conseguido sair.

Funcionário do Carrefour foi encontrado preso em elevador — Foto: Reprodução/Facebook/Moro em São Vicente e Região

O ex-repositor aponta que era comum, na época em que ele trabalhava na unidade, que funcionários ficassem alguns minutos presos no equipamento. “Se você estivesse puxando pallet ou carrinho pela parte contrária e a chave não estivesse virada, você ficava preso. Só abria pelo lado de fora”, explica. “‘Vira e mexe’ tinha funcionário que ficava 10, 15 minutos ficar preso lá dentro até outra pessoa resgatar”.

O ex-funcionário aponta que a área do elevador é movimentada se forem usar o equipamento. “Não é uma área afastada, mas no domingo o supermercado não recebe reposição de mercadorias”, contou. E, mesmo que fosse proibido o acesso de pessoas no elevador, era comum que os funcionários utilizassem como meio de transporte

O Carrefour informou, por nota, que o funcionário passa bem e está em casa com a sua família. Após ser encontrado, ele foi atendido no hospital da cidade e fez alguns exames. O supermercado disponibilizou uma assistente social para oferecer apoio psicológico ao funcionário e aos familiares mais próximos.

“Estamos junto aos familiares para prestar todo o suporte necessário, incluindo apoio psicológico. Ficamos consternados com o ocorrido e estamos apurando o fato internamente”, finalizou o mercado.

Sobre a manutenção dos elevadores, o mercado disse, por nota enviada nesta terça (28), que os equipamentos estão com os reparos em dia. Veja abaixo a nota na íntegra:

“Conforme documento em anexo, todos os elevadores da unidade, inclusive o citado pela reportagem (um elevador exclusivo para carga), estão com a manutenção preventiva e corretiva em dia. Todo mês é realizada manutenção prévia por empresa especializada. São 16 itens verificados mensalmente. Além disso, a cada três meses são checados outros 18 itens. No mês de setembro foram verificados estes 34 itens, com as visitas mensal e trimestral sendo realizadas no dia 9.

É importante ressaltar que o contrato com a empresa permite chamadas ilimitadas para o caso de problema nos elevadores, sem nenhum custo. Ou seja, qualquer interrupção ou problema envolvendo os elevadores da unidade é possível acionar imediatamente a empresa responsável pela manutenção, que atende em até duas horas a ocorrência.

Por fim, vale informar que a unidade está em conformidade com o RIA – Relatório de Inspeção Anual, documento obrigatório para funcionamento dos elevadores.”

Elevadores de carga da unidade foram vistoriados no início de setembro — Foto: Divulgação/Carrefur

A Prefeitura de Santos informou, por nota, que o supermercado tem dois elevadores cadastrados junto à administração municipal. Disse que em breve fará uma vistoria no local para averiguar o uso dos equipamentos

VÍDEOS: as notícias mais vistas do G1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar