[EDITADA] Ex-jogador e melhor amigo do Rei Pelé, Manoel Maria lamenta perda: 'já estava esperando'



Pelé morreu nesta quinta-feira (29), aos 82 anos. ‘Mamá’, como era chamado pelo Rei, costumava passar natais e réveillons com o Atleta do Século. Ex-jogador Manoel Maria e Rei Pelé em comemoração da vitória do Santos FC
Arquivo Pessoal
Manoel Maria, melhor amigo do Rei Pelé, que faleceu nesta quinta-feira (29), aos 82 anos, é a mistura de tristeza pela partida do seu “irmão” com o conformismo de quem o viu sofrer. Em entrevista ao g1, ele falou sobre a partida do Atleta do Século 20.
“A gente já estava esperando. Ele começava a sofrer, tomava medicamento para a dor. Sei que era melhor Deus levá-lo na hora que fosse. Mas somos egoístas. Na verdade, esperava [a partida], mas não queria que acontecesse”, relatou. “Estou muito triste, mas tenho que me habituar com a ideia”.
“Mamá”, como era chamado por Pelé, esteve no Hospital Israelita Albert Einstein há 15 dias, onde teve o último contato com o maior jogador de todos os tempos.
“Fui com meu filho. Ele estava meio sonolento e perguntou quem era, disse que era o Mamá. O cuidador não sabia quem era, e o Pelé disse: ‘é o Manoel Maria’, disse ainda que precisava da gente”.
Manoel Maria com o filho e o Pelé na comemoração do aniversário de 82 anos do Rei
Arquivo Pessoal
Lembranças
Manoel Maria colecionou, por mais de cinco décadas, inúmeras memórias com o Rei. Os encontros das famílias eram rotineiros.
“Quantas vezes ficamos juntos, eu e minha esposa, e ele com a dele, além dos funcionários da casa no Guarujá. Momentos maravilhosos, como Natais e Réveillons”.
Ele conta que, em um aniversário de Pelé, o Rei chegou a interpelar a mãe, dona Celeste, em tom de brincadeira. “Ele perguntou pra mãe o que ela tinha feito para ter um irmão branco”, diz.
Legado
O grande amigo de Pelé ressalta o legado do Rei para o futebol. “Ele fez há 60 anos o que os jogadores fazem hoje. Paradinha, bicicleta, o chute do meio do campo. Ele enxergava além”.
Perguntado sobre um momento inesquecível em campo, vem à memória de Mamá a “expulsão” do árbitro que ousou tirar Pelé de campo. Exemplo da força do maior jogador de todos os tempos.
“Agradeço a Deus por colocar uma pessoa tão iluminada no meu caminho. Era meu ídolo, virou meu amigo, meu irmão. Me levou para conhecer o mundo. Foi uma honra ter convivido com ele”, finaliza.
Manoel Maria, ex-jogador do Santos, lamenta morte, mas diz que amigo estava sofrendo
Anderson Firmino/g1 Santos
Confira os detalhes sobre o cortejo e velório do Rei Pelé
Arte/g1
VÍDEOS: g1 em 1 minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar