Colecionador de Copas do Mundo vai à sexta edição consecutiva no Catar: 'é fascinante'



Marcus Vinicius Rosa, de 60 anos, assistirá aos três primeiros jogos do Brasil no torneio mundial e já está na expectativa da 7ª Copa do Mundo. Empresário de Santos, no litoral de SP, irá para o Catar acompanhar a Copa do Mundo pela sexta vez. Na foto, ele na edição realizada no Brasil
Arquivo Pessoal
Um empresário de Santos, no litoral de São Paulo, está prestes a embarcar para o Catar, onde vai acompanhar ‘in loco’ a sexta Copa do Mundo consecutiva. Marcus Vinicius Rosa, de 60 anos, disse ao g1 que o evento “é fascinante” porque possibilita conhecer lugares, pessoas envolto de uma energia muito boa.
O voo dele está marcado para 22 de novembro, dois dias após a abertura do mundial. “Vou assistir a primeira fase, ou seja, os três primeiros jogos do Brasil. A expectativa é a melhor possível, é um país pequeno do deserto, mas muito moderno e rico. Será maravilhoso conhecer a cultura, história, visitar cidades com prédios modernos e futuristas”, disse ele, que permanecerá até 4 de dezembro.
Marcus esteve presente nas edições da França (1998), Alemanha (2006), África do Sul (2010), Brasil (2014) e Rússia (2018) e conta como tudo começou. “Em 1998, na Copa da França, eu e dois amigos resolvemos ir e compramos passagens, alugamos carro e fomos. Nesta época não tinha celular e internet. Gostei de participar e comecei a me programar para as outras”.
“A sensação de assistir jogos da Copa do Mundo é a melhor possível. Você conhece a cultura das pessoas do país, conhece outros torcedores, vai em museu, conhece a gastronomia”, finalizou.
O empresário e torcedor do Santos FC contou que os cinco mundiais que já assistiu o marcaram positivamente, mas o da França ele nunca esquecerá. “Já tem o glamour de Paris, a cidade luz, e nessa Copa nós chegamos até a final. Então participei de um período grande”.
“Copa na Europa é muito bom porque você consegue viajar por outros países porque não são tão grandes como o próprio Brasil e a Rússia, então você consegue, entre um jogo do Brasil e outro, viajar, conhecer outros lugares, outrose países até. A Alemanha também é um país interessante, uma culinária bem saborosa e cervejas diversas”, disse.
Empresário santista, Marcus Vinicius Rosa, de 60 anos, durante Copa do Mundo na Rússia em 2018
Arquivo Pessoal
Catar vai surpreender
Marcus acredita que o evento em Catar surpreenderá tanto pela cultura, por ser no deserto, quanto por ocorrer no final do ano. “Vamos ficar no mesmo lugar a Copa inteira. Os estádios são próximos, então isso ajudou em um certo ponto, mas sabemos que será a Copa mais cara”.
África do Sul, Brasil e Rússia
O empresário afirmou que a Copa do Mundo na África do Sul foi interessante, pois ele e os amigos fizeram um safari. “Mexemos nos animais, como leão e girafa”.
Marcus relembrou que o mundial na Rússia foi maravilhoso, apesar do Brasil não ter chegado onde os torcedores esperavam. Já sobre a competição aqui no país, o empresário definiu como ‘tristeza no final’. “[Mas] Brasil tudo é festa, então foi maravilhosa e todos que vieram para cá gostaram”.
Marcus e amigos durante viagem à Copa do Mundo na África do Mundo em 2010
Arquivo Pessoal
Prestes a embarcar para a 6ª Copa do Mundo, ele já tem expectativa para acompanhar que deve ser realizada nos Estados Unidos, México e Canadá.
“São países com facilidade da gente viajar para conhecer. Acho que vai ser uma Copa que os brasileiros vão invadir, no bom sentido, e eu espero estar presente também”.
Santista e veterano da Copa do Mundo vai ver seleção brasileira pela sexta vez


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar