Cerca de 25 mil passageiros deixarão de embarcar em cruzeiros no litoral de SP durante suspensão | Porto Mar

Cerca de 25 mil passageiros deixarão de embarcar em cruzeiros no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, durante a suspensão da temporada. A medida foi tomada após casos de Covid-19 a bordo das embarcações. A previsão de retomada é a partir de 21 de janeiro, mas ainda não há definição sobre o assunto. A temporada movimentaria R$ 1,7 bilhão e geraria 24 mil empregos ao longo de toda a sua duração, segundo dados da Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (Clia).

Durante o período de suspensão dos cruzeiros, estavam previstas para acontecer 12 escalas no cais santista. Elas seriam realizadas por quatro dos cinco cruzeiros que compõem a temporada brasileira, segundo informou o Terminal Marítimo de Passageiros (Concais) ao g1.

Milhares de passageiros aguardaram durante todo o domingo para saber se poderiam embarcar em navio — Foto: Matheus Tagé/Jornal A Tribuna

O impacto financeiro causado pela suspensão atingirá todas as empresas e profissionais ligados aos navios. O terminal, no entanto, não informou qual será o prejuízo pelas viagens suspensas.

No entanto, o terminal revelou que contratou 280 funcionários para trabalhar exclusivamente durante a temporada de cruzeiros, mais outros 90 funcionários terceirizados que atuavam por dia de embarque.

Segundo o Concais, a estrutura do terminal deve ser mantida durante o período de suspensão da temporada. A expectativa é de receber os “turistas que embarcariam nesse período, uma vez que os passageiros têm a oportunidade da remarcação das viagens”, disse o Concais, em nota.

R$ 1,7 bilhão por temporada, diz Clia

Um estudo da Clia Brasil, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, estima que cada navio gera em torno de R$ 350 milhões de impacto para a economia brasileira. No total, seriam gerados R$ 1,7 bilhão ao setor nesta temporada.

A cada 13 cruzeiristas, em média um emprego é gerado, em uma cadeia extensa de diversos setores da economia, como comércio, alimentação, transportes, hospedagem, serviços turísticos, agenciamento, receptivos e combustíveis, por exemplo, em todos os portos envolvidos na temporada.

MSC Seaside chegou ao Porto de Santos para o desembarque de passageiros — Foto: Luciana Moledas/g1

De acordo com a Associação dos Profissionais de Turismo, todos os profissionais de turismo estão empenhados e prontos para apoiar e colaborar com a correta orientação e divulgação de todos os protocolos junto aos turistas.

“Conhecemos a capacidade de superação de nossa indústria, e estamos convictos de que, em breve, todos os procedimentos que serão adotados na temporada brasileira servirão de modelo para a retomada do segmento de cruzeiros marítimos em outros países do mundo”, disse a associação, em nota.

A temporada de cruzeiros foi suspensa voluntariamente pela Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros na segunda-feira (3), após casos de Covid serem confirmados a bordo e dois navios entrarem em quarentena.

A pausa servirá para que a associação trabalhe para encontrar um alinhamento com o Governo Federal e autoridades locais na interpretação e aplicação de protocolos operacionais de saúde e segurança. A previsão é que a temporada retorne em 21 de janeiro.

Dias antes, a Anvisa já havia divulgado uma recomendação pelo imediato cancelamento das viagens de cruzeiro nesta temporada, alegando “urgência” e apontando “risco à saúde pública”. O Ministério da Saúde, por sua vez, divulgou que avaliaria as medidas cabíveis.

Em um posicionamento enviado ao g1 na quarta-feira (5), o Ministério do Turismo informou que permanece participando de reuniões no âmbito do governo federal com municípios, estados e empresas para juntos reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades no menor tempo possível.

“Cabe registrar que qualquer decisão será tomada por parte das autoridades sanitárias competentes à luz de critérios técnicos condizentes com o cenário epidemiológico do país e amparados em práticas já seguidas em outras partes do mundo para que, desta forma, possamos garantir segurança de turistas e tripulação desta que é uma atividade extremamente importante para o turismo e a economia do país”, disse o Ministério do Turismo, em nota.

Segundo a Anvisa, há atualmente cinco navios de cruzeiros operando em águas brasileiras. As informações foram atualizadas na quinta-feira (6) pelo órgão.

O Costa Diadema teve a operação interrompida no dia 30 de dezembro, e está classificado no cenário epidemiológico 4. A embarcação chegou ao Porto de Santos para o desembarque de passageiros e tripulantes a bordo. A companhia marítima Costa Cruzeiros anunciou o cancelamento das próximas duas saídas do navio, que entrou em quarentena e permanece em Santos. Dentre os tripulantes, há 204 casos positivos de Covid-19.

Costa Diadema chegou ao Porto de Santos para desembarque de passageiros — Foto: Luciana Moledas/g1

O navio MSC Preziosa atracou na manhã de domingo no Porto do Rio de Janeiro, quando 28 pessoas desembarcaram para cumprir dez dias de isolamento. A embarcação está no nível 3 do cenário epidemiológico. Após o desembarque, ele seguiu para Maceió, Salvador e, quando estava em Ilhéus, o transatlântico antecipou o retorno para o Rio por conta da suspensão da temporada. O desembarque dos passageiros aconteceu nesta quarta-feira (5), no Rio de Janeiro.

A embarcação reporta oito casos de Covid-19 entre os passageiros, e os registros entre os tripulantes somam atualmente 75 casos. O navio está no nível 3 do cenário epidemiológico.

Multidão, pouca informação e briga por comida: como foram as horas de espera por cruzeiro

Multidão, pouca informação e briga por comida: como foram as horas de espera por cruzeiro

O Costa Fascinosa também não realizará novos embarques. O navio está no nível 3 do cenário epidemiológico. Nesta quinta-feira, ele chegou no Rio de Janeiro para o desembarque dos passageiros. A embarcação reportou 21 casos entre os passageiros e 12 positivados na tripulação, já desembarcados.

Já o MSC Splendida está em quarentena no Porto de Santos após a suspensão da temporada. No domingo (2), passageiros que aguardavam para entrar no navio foram informados que a embarcação não seguiria viagem, após aguardarem no terminal de embarque durante todo o dia. A Anvisa informou que a embarcação já havia sido notificada no sábado (1º) sobre o impedimento do embarque por conta do surto de Covid-19 a bordo.

O MSC Splendida já havia tido sua operação interrompida no último dia 30, com passageiros isolados em suas cabines. O cenário epidemiológico do navio foi alterado para nível 4 no domingo. Dentre os tripulantes, há 127 casos positivos de Covid-19.

VÍDEOS: As notícias mais vistas do g1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar