Casal diz que ‘fugiu’ de navio de cruzeiro ao notar que teria surto de Covid a bordo: ‘não seguiam protocolo’ | Porto Mar

Um casal que estava a bordo do MSC Splendida, quando o navio fazia um cruzeiro de Réveillon, afirma que “fugiu” da embarcação quando notou que poderia haver um surto de casos de Covid a bordo. Em entrevista ao g1 nesta terça-feira (4), a empresária Sofia Maria Dias Nadelicci, de 20, anos, afirmou que não foram seguidos os protocolos de prevenção à doença.

Após mudar o roteiro do cruzeiro de Réveillon e retornar às pressas ao Porto de Santos, no litoral de São Paulo, para o desembarque dos passageiros, o MSC Splendida também teve a nova viagem que faria suspensa, depois de cerca de 2 mil passageiros esperarem horas pelo embarque neste domingo (2).

Em seguida, o navio se dirigiu à área de fundeio do cais santista para cumprir quarentena determinada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). De acordo com Sofia, ela e o namorado, o estudante Ademar Gandra dos Santos Silva, de 24 anos, deixaram o navio antes de “dar problema”, pois notaram que corriam risco de contrair Covid-19.

“No dia 27, fugimos do navio, em Porto Belo, porque percebemos que não havia qualquer preocupação com a Covid lá dentro. O problema só virou notícia no dia 28, quando a Anvisa impediu os passageiros de descerem do navio em Balneário Camboriú. A gente fugiu por um triz. Sou extremamente grupo de risco, e se não tivéssemos saído aquele dia, só Deus sabe o que teria acontecido. Tenho auto grau de imunossupressão”, relata a empresária.

MSC Splendida com Réveillon previsto no RJ retornou às pressas para o Porto de Santos após surto de Covid-19 — Foto: Vanessa Rodrigues/Jornal A Tribuna

De acordo com nota divulgada pela Anvisa, investigações conduzidas nos últimos dias demonstram que o vírus Sars-Cov-2 se espalha facilmente entre pessoas próximas a bordo de navios, e que a chance de contrair Covid-19 nos cruzeiros é alta.

Sofia afirma que, enquanto ainda estava no MSC Splendida, no cruzeiro de Réveillon, estava muito feliz, pois aquela seria a primeira vez que faria uma viagem com o namorado em um navio. “A gente estava muito feliz, e nos relataram que daria tudo certo, que fariam testes sempre, que as pessoas estariam vacinadas, e que todos os protocolos seriam seguidos”, afirma.

Mas, de acordo com ela, não foram seguidos protocolos rígidos de prevenção à Covid-19. A empresária relata que os elevadores do navio ficavam lotados, e que havia muitas pessoas que não faziam uso de máscaras.

Ainda segundo a empresária, outros passageiros, de uma viagem anterior à de Ano Novo, seguiam isolados no navio por conta da Covid. “Essas pessoas foram embora em vans da Anvisa. Na hora do jantar, não tinha nenhum protocolo, milhares de pessoas sem máscara, tudo lotado. As mesas coladas umas nas outras. Eu comecei a sentir uma energia muito pesada lá dentro, e a passar mal de nervoso”, conta.

Sofia também relata que, no momento das outras refeições, o espaço de alimentação também ficava lotado, assim como a área da piscina.

“Nos sentimos muito mal, nervosos, e em Porto Belo, o primeiro porto, já decidimos ir embora. Pedimos o desembarque, e nos obrigaram a assinar um papel afirmando que não pediríamos reembolso de nada. Reforçaram várias vezes que ficaria sem dinheiro. Disse a eles que preferia ficar sem o dinheiro do que sem vida, e já entrei em contato com meu advogado, que irá seguir com processo sobre essa obrigatoriedade de assinar o papel”, finaliza.

Milhares de passageiros aguardaram durante todo o domingo para saber se poderiam embarcar em navio — Foto: Matheus Tagé/Jornal A Tribuna

Por meio de nota enviada ao g1, a MSC Cruzeiros afirmou que está operando desde agosto de 2020, e que, até o momento, recebeu, com segurança e responsabilidade, mais de 1 milhão de hóspedes em seus navios em todo o mundo, graças a um protocolo de saúde e segurança que foi reconhecido como tendo estabelecido o padrão para a indústria em geral e outros setores.

Segundo a companhia, o protocolo de saúde e segurança, definido e aprovado pela Anvisa, e que está alinhado ao protocolo global, prevê que, no momento do embarque, todos os hóspedes com 12 anos ou mais devem apresentar comprovante de vacinação completa contra a Covid-19, e todos os hóspedes com 2 anos ou mais precisam apresentar um teste RT-PCR negativo feito dentro de 72 horas, ou um teste de antígeno realizado dentro de 24 horas antes do embarque.

Afirma, ainda, que um questionário de saúde preenchido dentro de seis horas do início da viagem também é requerido, que toda a tripulação tem o ciclo completo de vacinação e é testada semanalmente, além de 10% da equipe ser testada diariamente.

Outras medidas do protocolo incluem ocupação reduzida a 75%, ar 100% fresco e sem recirculação, distanciamento social entre grupos de viajantes e uso de máscaras faciais em áreas públicas.

VÍDEOS: As notícias mais vistas do g1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar