Baixada em Pauta #53: Especialista diz que ‘mais gente na praia’ pode causar mais incidentes com tubarões | Baixada em Pauta

Você pode ouvir Baixada em Pauta no g1, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, no Hello You ou no aplicativo de sua preferência. Assine ou siga o Baixada em Pauta, para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar.

Três incidentes recentes nas praias do litoral paulista, envolvendo animais marinhos e banhistas machucados, chamaram a atenção durante o feriado prolongado de Proclamação da República. Dois foram comprovados que foram causados por tubarões; enquanto um terceiro, do menino de 11 anos que saiu do mar de Ilha Comprida com um ferimento na perna, teve a participação de tubarões descartada no dia seguinte.

Especialista no animal marinho explica o aumento do surgimento desses animais mais próximos às praias e diz que as regiões do mundo que mais registraram casos do tipo são locais com maior densidade demográfica (ouça o podcast no início da matéria).

O incidente que teve o suposto ataque de tubarão descartado foi o de uma criança de 11 anos, que estava no mar, quando se deparou com um grupo de animais marinhos e saiu com uma ferida na perna. Os banhistas gritaram que eram tubarões e a própria prefeitura do município chegou a divulgar, preliminarmente, que se tratava de um cardume de cações, uma espécie pequena de tubarão.

No entanto, já no dia seguinte, a informação foi retificada por um grupo de pesquisadores especializados em tubarões, da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp), que afirmou que a maior probabilidade é que o incidente tenha sido causado por um grupo de raias ticonha (Rhinoptera bonasus e R. brasiliensis), muito comuns na região, ou outra espécie de peixe ósseo.

Incidente com criança e tubarão ocorreu em Ilha Comprida, SP — Foto: Reprodução/Rócio Um Bom Lugar Iguape

Mesmo assim, o caso ganhou repercussão nacional já que, em Ubatuba, também no litoral norte paulista, dois ataques recentes aconteceram. O primeiro foi no começo do mês, quando um francês de 39 anos foi ferido na perna. Este foi o primeiro ataque em 30 anos por lá.

Já o segundo aconteceu nesta quinta-feira (18). Uma idosa de 79 anos teve um corte de 25 centímetros na perna enquanto estava no mar. Ela foi socorrida, teve o ferimento suturado e depois foi liberada. Novamente, os pesquisadores atestaram a veracidade do ataque de tubarão.

Para falar sobre o assunto, o Baixada em Pauta trouxe um dos maiores especialistas em tubarões do país, Otto Bismarck, que fez parte do grupo de pesquisadores que investigou os três incidentes recentes. Ele explica o que levou a população a pensar que o menino de 11 anos havia sido ferido por tubarões e fala sobre a aparição recente dos animais na costa paulista depois de décadas.

“O que tem determinado mais acidentes, na verdade, é mais gente na praia, mais gente na beira do mar. As regiões do mundo com mais incidência de mordedura contra banhistas e surfistas são regiões com alta densidade demográfica”, diz Otto, especialista em tubarões.

Bermuda de criança chegou a rasgar durante incidente envolvendo tubarão em Ilha Comprida, SP — Foto: Arquivo Pessoal

O especialista explica, ainda, a diferença entre ataque e incidente envolvendo estes animais. “A definição de ataque é a investida. Uma ofensa mecânica contra um alvo”, disse. “O ataque de tubarão é um fato científico, mas nem sempre o tubarão ataca”.

Otto também fala sobre o aumento de incidentes com tubarões próximos à costa paulista, comportamento desses animais com os banhistas e como as mudanças climáticas podem alterar a frequência com que eles são avistados nas praias.

O que você precisa saber:

O podcast Baixada em Pauta é produzido por Juliana Steil e editado por Aldemar Gonçalves. Apresentação: Alexandre Lopes.

Alexandre Lopes apresenta o podcast Baixada em Pauta — Foto: Vanessa Rodrigues/A Tribuna Jornal

Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça.

Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia…

Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça – e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar