Atirador matou campeão mundial de jiu-jitsu e idoso por engano ao confundi-los com seguranças em SP | Santos e Região

O criminoso preso por matar a tiros dois homens em um restaurante em Praia Grande, no litoral de São Paulo, teria, segundo a polícia, confundido as vítimas com seguranças de um bar em que estava anteriormente. Segundo apurado pela TV Tribuna, emissora afiliada à Rede Globo, Maurício Souza Alves, de 35 anos, foi proibido pelos funcionários de entrar no outro estabelecimento por estar “alterado” (veja o vídeo acima).

Antes dos disparos, Maurício estava em um bar localizado ao lado do restaurante japonês, onde o crime aconteceu, na Avenida Marechal Mallet, no bairro Canto do Forte. No primeiro local, ele teve a entrada barrada por seguranças por conta do estado “alterado”, com sinais de embriaguez. O homem, segundo testemunhas, deixou o estabelecimento contrariado e, na volta, confundiu os ambientes e as vítimas.

Após atirar na cabeça dos homens, Maurício deixou o restaurante. Na fuga, ele disparou mais duas vezes contra um motociclista, que não foi atingido, na tentativa sem sucesso de roubar uma moto nas proximidades. O criminoso ainda entrou em uma pizzaria no mesmo bairro, fez três reféns – sendo dois deles um pai e um filho -, mas acabou sendo imobilizado por policiais e preso em flagrante.

Criminoso teria confundido campeão mundial de jiu-jitsu e idoso com seguranças de bar antes de matálos — Foto: Reprodução

Thaynã Higor estava aguardando um transporte quando foi abordado pelo criminoso, por volta das 23h, em frente ao restaurante Katsuya, localizado na avenida Marechal Mallet. Uma câmera de segurança registrou o momento em que o homem atira contra o paratleta, que morreu no local.

Depois, o atirador entrou no estabelecimento e atirou contra Walter Ramos Filho. Em seguida, o homem fugiu. Ele foi perseguido por moradores, entrou em uma pizzaria e fez reféns, mas acabou sendo preso.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Praia Grande, Walter chegou a ser atendido pelo Serviço de Atendimento de Emergência (Samu) e encaminhado em estado grave para o Hospital Municipal Irmã Dulce. Ele não resistiu aos ferimentos e morreu nesta quinta-feira.

Homem mata duas pessoas à queima roupa em restaurante e tenta fugir em Praia Grande, SP

Homem mata duas pessoas à queima roupa em restaurante e tenta fugir em Praia Grande, SP

Além de Walter, o tricampeão mundial pela Confederação Brasileira Paradesportiva de Jiu-Jitsu (CBPJJ) Thaynã Higor foi morto a tiros pelo mesmo homem em frente ao restaurante, em Praia Grande. O paratleta foi a primeira vítima do atirador.

Thaynã tinha uma lesão no plexo braquial, que limitava os movimentos e a desenvoltura muscular do braço esquerdo, por conta de um erro médico durante o seu parto. A limitação, porém, foi superada pelo talento e a força de vontade do lutador, que sonhava com o crescimento da modalidade.

Thayná conquistou o bicampeonato mundial em Abu Dhabi em abril de 2018 — Foto: Arquivo Pessoal

O atleta começou a treinar jiu-jitsu em 2010. Mesmo com a oficialização de alguns torneios para pessoas com deficiência, ele não deixou de lutar em torneios convencionais, para pessoas sem deficiência.

Os campeonatos para a categoria dele no Brasil começaram em 2014. Ele foi tricampeão brasileiro e mundial nos campeonatos organizados pela Confederação Brasileira Paradesportiva de Jiu-Jitsu (CBPJJ). Em 2018, ele sagrou-se bicampeão do Abu Dhabi World Festival Para Jiu-Jitsu, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

VÍDEOS: g1 em 1 Minuto Santos


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar