Ataque israelense destrói consulado iraniano na Síria e mata comandante da Guarda Revolucionária, diz Irã



O ministro de Relações Exteriores do Irã afirmou que o ataque ao consulado em Damasco fere todas as convenções internacionais. Segundo a mídia da Síria, pelo menos seis pessoas morreram e há outras feridas. O comandante das forças terrestres da Guarda Revolucionária do Irã, Mohammad Reza Zahedi, em imagem de arquivo.
Reprodução/ Redes sociais
Aviões militares de Israel atingiram o consulado do Irã em Damasco, na Síria, nesta segunda-feira (1º) e mataram Mohammad Reza Zahedi, comandante sênior da Guarda Revolucionária do Irã, de acordo com a mídia estatal iraniana.
Segundo a mídia estatal da Síria, pelo menos seis pessoas morreram e há outras feridas.
O governo iraniano responsabiliza Israel pelas consequências do ataque ao consulado na capital da Síria, disse o ministro de Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, segundo a mídia estatal iraniana. A afirmação foi dada em um telefonema entre Hossein e o ministro de Relações Exteriores da Síria.
Ainda segundo a mídia estatal do Irã, o governo do país considera que o alvo era Reza Zahedi.
Um porta-voz militar de Israel disse que não vai fazer comentários sobre notícias na mídia estrangeira. O jornal americano “The New York Times” afirmou que conversou com quatro autoridades de Israel que pediram para não serem nomeadas e confirmaram que o país realmente executou o ataque, mas não confirmaram que o comandante Reza Zahedi foi morto.
O canal de TV estatal da Síria confirmou que o prédio do consulado foi atacado. A mídia do Irã também noticiou que um prédio perto da embaixada foi atingido, e a agência de notícias dos estudantes iranianos afirmou que os alvos eram o consulado e a residência do embaixador.
O ministro de Relações Exteriores do Irã, Hossein Amirabdollahian, afirmou que o ataque ao consulado em Damasco é uma violação de todas as convenções internacionais.
O embaixador do Irã na Síria, Hossein Akbari, que escapou ileso, afirmou que a resposta do Irã será dura.
Guerra na Faixa de Gaza
O grupo terrorista Hamas, que atua na Faixa de Gaza, é apoiado pelo Irã. Desde que o Hamas atacou Israel, em 7 de outubro, os israelenses aumentaram os ataques contra alvos ligados a dois grupos que são atuantes em território sírio:
O grupo libanês Hezbollah (veja mais abaixo).
As Guardas Revolucionárias do Irã.
Fumaça perto de edifícios diplomáticos do Irã em Damasco, na Síria, em 1º de abril de 2024
Firas Makdesi/Reuters
Mohammad Reza Zahedi
O site oficial do aiatolá Ali Khamenei afirma que o general Mohammad Reza Zahedi foi nomeado comandante das forças terrestres da Guarda Revolucionária do Irã em 21 de janeiro de 2006.
De acordo com o “New York Times”, ele era o responsável pelas operações secretas do Irã na Síria e também no Líbano.
Local de prédio destruído em Damasco, na Síria, em 1º de abril de 2024
Omar Sanadiki/AP
Ataque contra o Hezbollah
Na sexta-feira, Israel realizou um de seus ataques mais mortais em meses contra a província de Aleppo, no norte da Síria.
No mesmo dia, os israelenses afirmaram que mataram um comandante sênior do Hezbollah no Líbano, Ali Abed Akhsan Naim, vice-comandante da unidade de foguetes e mísseis do Hezbollah.
Bandeira do Irã perto de prédio atacado em Damasco, na Síria, em 1º de abril de 2024
Firas Makdesi/Reuters
O governo israelense afirmou que ele era um dos líderes da milícia apoiada pelo Irã em disparos de foguetes com ogivas pesadas e disse que foi responsável por conduzir e planejar ataques contra civis israelenses.
Veja abaixo um vídeo sobre as Forças de Defesa de Israel.
Conheça as Forças de Defesa de Israel e a Mossad


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar