Alunos de escola estadual entram em quarentena após casos de Covid-19 em Guarujá, SP | Educação

Alunos de pelo menos uma turma da escola estadual Professor Emidio José Pinheiro em Guarujá, no litoral de São Paulo, estão em quarentena por duas semanas devido a casos de Covid-19 entre estudantes e professores. Ao menos 12 crianças testaram positivo para a doença até o momento.

Segundo apurado pelo g1, a professora de uma das turmas do 4º ano testou positivo na semana passada. Os pais e responsáveis de alunos da mesma classe ficaram sabendo na última sexta-feira (24) e pediram à diretoria pela suspensão das aulas presenciais em todas as turmas, mas não tiveram o pedido atendido.

Comunicado da diretora da escola divulgado aos pais e responsáveis — Foto: Reprodução

Ao invés disso, apenas a turma onde a professora leciona, com 30 alunos, foi passada para aula remota, segundo os pais contam. A Seduc, entretanto, nega a informação e alega que, na verdade, duas turmas estão em quarentena (leia mais abaixo).

A quarentena começou nesta terça-feira (28). Os pais e responsáveis das outras turmas que desejam optar pelo ensino remoto neste período, foram orientados a solicitar a mudança na secretaria da escola, assinando um termo de responsabilidade para a autorização.

Entre os alunos, há pelo menos duas crianças que precisaram de atendimento médico devido a sintomas mais graves da doença. Ao menos 12 crianças testaram positivo para a doença, sendo que, no total, 18 tiveram sintomas da Covid-19 até o momento.

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) confirmou, por nota, que há casos prováveis de Covid-19 entre estudantes e servidores na Escola Estadual Professor Emídio José Pinheiro.

Os casos foram registrados no Sistema de Informação e Monitoramento da Educação (Simed) e a Vigilância em Saúde local foi notificada. Uma nova sanitização da escola será realizada neste sábado (2).

Segundo a Seduc, os casos foram restritos a duas salas de aula, que tiveram as atividades presenciais suspensas por 14 dias. As aulas seguem de forma remota pelo Centro de Mídias, sem prejuízo da aprendizagem. No restante das salas, as aulas continuam de forma presencial, com a autorização dos pais, que foram orientados sobre a situação.

A pasta ressaltou que as escolas são ambientes controlados, que recebem os alunos de acordo com a capacidade permitida, além do uso obrigatório de máscara, álcool em gel, medição de temperatura e distanciamento social. Os casos prováveis de servidores e alunos são acompanhados por meio do Simed, que tem os dados atualizados periodicamente.

VÍDEOS: as notícias mais vistas do G1


Fonte Original

Compartilhar
Mostrar mais
Botão Voltar ao topo
EnglishPortugueseSpanish
Fechar
Fechar